Mãe Canguru ganha nova enfermaria no Hospital César Cals

15 de abril de 2010

Gabriel e Rafael são gêmeos. Nasceram há 40 dias e continuam internados no Hospital Geral Dr. César Cals. Lá, além da assistência dos profissionais do hospital, os gêmeos também recebem cuidados diretamente da mãe, a dona de casa Maria Ângela de Sousa Leite. Eles ficam coladinhos ao corpo dela. Isso é possível porque a mãe Maria Ângela de Sousa Leite  foi convidada para ficar com os filhos na enfermaria do método canguru. Nesta sexta-feira, 16, às 16 horas, uma nova enfermaria será inaugurada, com oito leitos. As novas instalações ficam próximo aos jardins do hospital, em espaço mais amplo e melhores condições para a relação mães e filhos.

 

Depois de 20 dias internados na UTI neonatal, os gêmeos Gabriel e Rafael estão sendo tratados pelo método canguru. É chamado canguru porque os bebês ficam vinculados a mãe por uma bolsa de tecido, amarrada na cintura. Entre as vantagens, o método canguru favorece o aleitamento, possibilitando o desenvolvimento de estímulos sensoriais adequados, reduz o tempo de permanência hospitalar e a prevalência de infecção hospitalar.

 

A felicidade da mãe Maria Ângela e a recuperação dos bebês comprovam a eficácia do método. “Eu gosto muito de ficar com eles. Em dou banho, alimento, faço tudo e já vou aprendendo a cuidar deles”, conta a mãe satisfeita com seus primeiros filhos. Resultados como esse, merecem destaque e atualização dos profissionais envolvidos. Pensando nisso, o Hospital Geral Dr. César Cals e o Ministério da Saúde realizam de hoje, 12 ao dia 16, sexta-feira, o “Curso de Atenção Humanizada ao Recém-nascido de Baixo Peso – Método Canguru”. Agora, os profissionais de outras unidades hospitalares irão aprimorar as técnicas já aplicadas no HGCC. Ao todo, são cinco hospitais participantes: Hospital Geral de Fortaleza, Hospital São Vicente de Paula, Santa Casa de Misericórdia, Hospital São Lucas e Hospital Jesus Maria José. O curso terá a duração de uma semana e será realizado no Centro de Estudos Aperfeiçoamento e Pesquisa – CEAP, na Avenida do Imperador,  372, Centro.

 

De acordo com Maria Haydée Augusto Brito, médica coordenadora do método canguru, o objetivo do curso é aprimorar a atenção individualizada ao recém-nascido, assistindo-o como membro de uma família. “É preciso incluir os pais, avós, a família nos cuidados com o bebê, possibilitando um tratamento continuado, mesmo após a alta”.

 

15.04.2010

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br /  85 3101.5220)