Detran faz leilão de 245 lotes de veículos e sucatas

16 de abril de 2010

O Detran realiza neste sábado (dia 17), no pátio da Montenegro Leilões (Rua Ademar Paula, 1.000, bairro Esplanada do Castelão), o primeiro leilão de 2010 de veículos apreendidos, com a oferta de 245 lotes de sucatas e veículos, cujos valores iniciais variam, respectivamente, de 500,00 a R$ 13.500,00. Este valor mais alto se refere ao lance inicial de um Fiat Pálio 2008/2008, do lote de número 206. E o menor valor é de um lote com 19 unidades de sucatas de motos  e mobiletes. Todos os lotes podem ser visitados no pátio do leiloeiro.

 

Dos lotes de veículos, quatro têm o valor de lance inicial de R$ 12.500,00: um GM Classic Life 2007/2008 (lote 192), VW Gol 1.0 2005/2006 (lote 211), GM Prisma Maxx 2007/2008 (lote 236) e VW Gol 1.0 2007/2008 (lote 238). Do total de lotes, serão  leiloados 62 lotes de sucatas (com quase 400 unidades de motos, veículos e peças) e 183 de veículos e motos, em condições de circular na via pública.

 

Há 121 lotes de motocicleta, cujos valores dos lances iniciais variam de R$ 200,00 (lotes 46, 47 e 156), referente a moto Sudown Max 125 SE 2008/2008 e Dafra Super 100 2008/2009, e de R$ 1.800,00 (lotes 48, 75, 88, 97 e 140), referente a Honda CG 125 Fan 2007/2008 e Honda CG 150 Titan ES 2008/2008.

 

Os lotes são compostos por sucatas de veículos, por estarem sem condições de circulação e não resgatados por seus proprietários. São considerados sucatas por não terem motor (cujas peças fazem parte de outros lotes de sucatas) e tem apagado o número do chassis (assim como o número do motor). Já os veículos, todos estão em conduções de uso, mas após uma revisão por conta do novo proprietário. Conforme a legislação, o Detran pode fazer leilão dos veículos que estão há mais de três meses no pátio do Órgão.

Qualquer pessoa pode ofertar lances. Conforme o edital, o pagamento do lance tem de ser feito na hora, com cheque ou dinheiro. O participante pode também fazer um pré pagamento com 20% do valor do arremate e 48 horas depois efetuar o pagamento da parcela restante. A legislação determina que o Órgão salde a dívida do veículo e o que sobrar seja devolvido ao antigo proprietário. Mas há casos em que o valor do bem arrematado sequer é suficiente para cobrir o débito.

 

16.04.2010

 

Assessoria de Imprensa do Detran-CE

Paulo Ernesto Serpa (pauloernesto@detran.ce.gov.br / 85 3101.5813 – 3101.5819)