Medalha Ambientalista será concedida à Associação de Tauá

27 de abril de 2010

A Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá receberá nesta quarta-feira,  dia 28, às 14h30min, na Assembleia Legislativa, a medalha ambientalista Joaquim Feitosa, que anualmente é designada, a uma entidade física e/ou jurídica, alternadamente, e que tenha contribuido decisivamente para a preservação do meio ambiente no Ceará.       Fundada em 1986 por um grupo de mulheres artesãs, com apoio do Sindicato  de Trabalhadores Rurais de Tauá, a entidade,  em 1993 mudou o estatuto para atuar, também, no campo, desenvollve dentre outras ações o cultivo do algodão agroecológico. A entitdade concorreu com mais cinco emrpresas ligadas ao questão ambiental. 

 

A reunião do  Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga que elegeu a Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá, para receber  a  Medalha Ambientalista Joaquim Feitosa, foi realizada  dia 22 último, das 8 horas às 14 horas na sede do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam). Por lei a medalha é concedida, anualmente, pelo Comitê, a uma pessoa física e/ou jurídica,  alternadamente,  e que tenha trabalhos voltados para  a conservação e preservação do Bioma Caatinga. A empresa eleita este ano disputou a indicação com cinco entidades jurídicas, Sua escolha recaiu pelo fato de contribuir de forma significativa para o desenvolvimento rural sustentável  da cidade de Tauá.           

 

A primeira personalidade agraciada com a medalha, quando de sua  criação em 2005,  foi o poeta Patativa do Assaré, cuja vida iniciou na agricultura. Em 2006, a Associação Caatinga foi a escolhida. Em seguida (2007), coube ao professor aposentado da UFC, João Ambrósio Araújo, ser  o homenageado. Já em 2008, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) ganhou a honraria. Por fim, em 2009, pela 1ª vez o Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga consignou a medalha a um homem  agricultor que vive exclusivamente do campo. Trata-se do  agricultor Luiz Francisco de Sousa, de Parambu, que naquela ocasião falou de improviso na Assembleia Legislativa e deixou a platéia emocionada.

 

27.04.2010

 

Assessoria de Imprensa do Conpam
Pedro Gomes de Matos Neto (pedrogomesdematosneto@gmail.com / 3101.1233)