Estados do Nordeste trocam experiências para melhorar indicadores de DST/Aids

28 de abril de 2010

As coordenações estaduais e municipais de DST/Aids do Nordeste querem  melhorar os indicadores das doenças sexualmente transmissíveis e aids  na Região, a partir da difusão de experiências de trabalhos preventivos e educativos com as populações vulneráveis. A apresentação  das experiências acontecerá durante a Reunião Macrorregional Nordeste de DST/Aids que a Secretaria da Saúde do Estado realiza nesta quinta,  29, e sexta-feira, 30 de abril, das 8h30min às 17 horas, no Hotel  Mareiro, Avenida Beira Mar, 2380, Meireles, com 200 participantes  representando os nove estados e 76 municípios nordestinos.

 

Na manhã de quinta-feira, após a encenação da peça “Nas garras do Capa Bode” e depois da apresentação da situação epidemiológica da Aids no Nordeste, no período de 1980 a 2009, pelo chefe da Unidade de  Vigilância do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do  Ministério da Saúde, Gerson Pereira, será a vez da apresentação das  experiências desenvolvidas pelo estado de Sergipe com profissionais do  sexo e caminhoneiros e, na Bahia, com homens que fazem sexo com homens (HSH), gays e travestis. Fortaleza apresentará experiência do trabalho  realizado com homossexuais femininas.

 

 No Brasil, desde a identificação do primeiro caso de Aids, em 1980,  até junho de 2008, já foram identificados 506 mil casos da doença. Do  total de notificações, cerca de 80% estão concentrados nas regiões  Sudeste e Sul. Houve 18.155 casos identificados na Região Norte (4%),  58.348 no Nordeste (12%), 305.725 na Região Sudeste (60%), 95.552 na  Região Sul (19%) e 28.719 na Centro-Oeste (6%). As regiões Norte e  Nordeste mantêm a tendência de crescimento do número de casos. Como  resultado dessa dinâmica regional da epidemia, a taxa de incidência de  Aids no País mantém-se estabilizada, ainda que em patamares elevados.

 

 À tarde, será exibido o filme “O Auto da Camisinha”, produzido com  apoio da Sesa, a partir das 14 horas. Em seguida, os participantes  conhecerão o cenário atual e as ações estratégicas para o  enfrentamento da co-infecção HIV-tuberculose. No Brasil, cerca de 15  mil novos casos notificados de tuberculose a cada ano, são HIV  positivo. No final da programação do dia, Gérson Pereira apresentará a  Portaria ministerial 3252, do Bloco de Vigilância em Saúde, que aprova  as diretrizes para execução e financiamento das ações de Vigilância em  Saúde pela União, estados, Distrito Federal e municípios.

 

 Na sexta-feira pela manhã, a professora Lígia Kerr, do Departamento de  Saúde Comunitário da Universidade Federal do Ceará (UFC), mostrará  como utilizar dados de pesquisas desenvolvidas no Nordeste para melhorar as políticas de enfrentamento das DST e Aids. Em seguida, o  coordenador estadual de DST/Aids de Pernambuco, François Figueroa,  apresentará os indicadores operacionais e epidemiológicos dos estados  nordestinos. À tarde será discutida e aprovada a Carta de Fortaleza.

 

 O principal objetivo da Reunião Macrorregional Nordeste é discutir e  apresentar ações estratégicas para o controle da epidemia de DST/Aids  na região. O encontro é realizado duas vezes por ano, reunindo  representantes dos nove estados do Nordeste e de municípios que  desenvolvem ações voltadas para o enfrentamento das DST e Aids. A última reunião foi realizada em outubro do ano passado, em Salvador  (BA).

Assessoria de Imprensa da Sesa
Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br/ 3101.5220)