Condomínios poderão receber contas de água individualizadas

7 de Maio de 2010

Os condomínios do Ceará podem passar a receber a cobrança de água individualizada por apartamento. A opção passa a ser oferecida pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) a partir de maio. Com a medida, a Cagece espera que haja um uso mais consciente desse recurso, uma vez que cada apartamento será responsável por pagar exatamente o que consome. Hoje, os condomínios dividem o valor da fatura da água por igual, independente se um apartamento consumiu mais do que outro. Pelo modelo apresentado pela Companhia, a única divisão por igual será feita com os gastos com consumo de água nas áreas comuns.

 

Atualmente, a Cagece possui o cadastro de cerca de 4.200 condomínios com dez apartamentos ou mais. São cerca de 124.00 famílias, sendo cerca de 120 mil somente em Fortaleza. Mas o número de beneficiados com a mudança pode ser maior. Segundo o Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Locação de Imóveis do Ceará (Secovi-CE), existem cerca de 5.000 condomínios associados à entidade.

 

Além dos apartamentos pagarem somente pelo volume que cada um consome, a mudança na forma de cobrança nos condomínios oferecem as vantagens da cobrança individual por débito, facilita a administração do síndico, reduz o desperdício de água e consequentemente as contas, reduz o volume de efluente de esgotos com benefícios ecológicos e econômicos e os vazamentos de difícil percepção serão identificados mais rapidamente. Para a Cagece, os ganhos são redução no índice de inadimplência e clientes mais satisfeitos.

 

Como vai funcionar

 

Para oferecer esse serviço, a Cagece estipulou critérios baseados em diversas reuniões com a Agência Nacional de Águas (ANA), bem como as experiências de outras Companhias de Saneamento que já estão adotando este procedimento no País. O condomínio só poderá receber as contas individualizadas por apartamento se todos os condôminos assinarem o termo de adesão para a mudança da cobrança atual (total rateado por todos os apartamentos) pelo opcional.

 

“Os condomínios precisam apresentar condições técnicas adequadas para a mediação individualizada: é preciso que cada apartamento possua um hidrômetro instalado no ramal de alimentação. Um macromedidor é instalado na entrada da ligação do condomínio.

 

Exemplo:
Edifício com 10 apartamentos;
Consumo apura no macro R$ 180;
Somatório nos micros totaliza R$ 160;
A diferença de R$ 20 será rateada.
 
Continuando no exemplo acima: o apartamento A consumiu R$ 15. Já o apartamento B consumiu R$ 20. A diferença entre o macromedidor e os demais medidores foi de R$ 20, o equivalente a R$ 2 por apartamento por uso de água nas áreas comuns.
O apartamento A irá pagar R$ 15 + R$ 2 = R$ 17.
O apartamento B irá pagar R$ 20 + R$ 2 = R$ 22.

 

Condições relevantes

 

Para que a Cagece passe a oferecer o serviço, é preciso que haja a adesão de todos os condôminos comprovada por ata de assembleia ou delegação ao síndico para tal. Caso haja algum usuário com ligação de água cortada e com ligação de esgoto ativa, será cobrada a coleta de esgoto mais o rateio do consumo comum proveniente do medidor principal.

 

Se o prédio precisar fazer modificações de instalações internas, todos os custos serão de responsabilidade dos condôminos. Cada unidade usuária deve ser cadastrada como uma economia ativa, recebendo número de inscrição e fatura individual.

 

Os condomínios não podem ter válvulas de descarga nas unidades usuárias. O condomínio precisa garantir o livre acesso aos colaboradores da Cagece para fazer medições e trabalhos técnicos. A Cagece precisa fazer uma inspeção no condomínio antes da implantação do processo de medição individualizada.

 

O condomínio não deverá ter fonte alternativa de abastecimento (poço). Tanto a calibração quanto a manutenção dos medidores individuais é de responsabilidade do condomínio. O medidor principal será instalado pela Cagece, ficando sob sua responsabilidade a calibração e manutenção. Os condomínios só podem aderir à medição individualizada se não houver débito com a Cagece.

 

07/05/10

 

Assessoria de Imprensa da Cagece
Márcio Teles (marcio.teles@cagece.com/ 3101.1826)