Publicação da ABTO confirma que Ceará é segundo em doação de órgãos

26 de Maio de 2010

A revista RBT, publicada pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), na edição do primeiro trimestre de 2010 confirma que o Ceará é o segundo Estado com maior número de doadores do País. O número de doadores efetivos subiu de 11,2 por milhão no último trimestre de 2009 para 19,1 por milhão da população de janeiro a março deste ano. O Ceará só perde para São Paulo, com 22,6 doadores por milhão da população (ver ranking dos dados globais de captação de órgãos por Estado). Até o final do ano passado, o Ceará ficava abaixo de Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e do Distrito Federal.

O editorial da revista RBT, com o título “Avançando com novidades”, destaca que apenas cinco Estados realizaram transplantes de pâncreas – SP, RS, CE, MG e PR no primeiro trimestre deste ano. O Ceará passou a realizar transplantes de pâncreas a partir de novembro de 2009. De lá para cá foram feitos cinco transplantes no Hospital Geral de Fortaleza, unidade terciária da Secretaria da Saúde do Estado.

Para o secretário da saúde, Arruda Bastos, a generosidade dos cearenses é a grande responsável pelo aumento das doações: “a nossa população está melhor informada sobre a doação e o processo de transplante. Quanto mais informações mais mobilizada a população fica para o ato de doar”. Ele observa que “os meios de comunicação têm assumido um papel decisivo nessa mobilização positiva, sempre lançando o tema na pauta, sensibilizando cada vez as famílias para a doação”. A descentralização dos serviços de captação de órgãos e tecidos também é apontada como importante no aumento das doações e transplantes. Há pouco mais de um ano a captação é realizada em Sobral e no Cariri, com o transporte aéreo dos órgãos para a capital garantido pela Casa Civil do Estado. 

Com o aumento do número de doadores, as possibilidades de realização de transplantes aumentam. Em 2010, até a última segunda-feira, 24, foram realizados 338 transplantes de órgãos e tecidos no Estado. Em 2006, durante todo o ano, foram feitos 446 transplantes. Nos anos seguintes – 2007, 2008 e 2009, a Central de Transplantes do Estado comemorou recordes sucessivos. Em 2007, foram 618 transplantes, 739 em 2008, saltando para 767 em 2009, ano em que o Ceará ficou em primeiro lugar no ranking nacional em transplante de coração por milhão da população. Dos 338 transplantes feitos este ano, 173 são de córneas, 47 de fígado e 9 de coração.

 

26.05.2010

 

Assessoria de Imprensa da Sesa

 

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)