Dia Mundial sem Tabaco alerta mulheres fumantes

27 de Maio de 2010

A mulher fumante é o foco principal das ações do Dia Mundial sem Tabaco. Com o tema “Mulher, você merece algo melhor que o cigarro”, a programação começa nesta sexta-feira, 28 de maio, com palestra sobre o contexto histórico e tratamento, proferida pelo médico Tales Sampaio, conselheiro da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), às 10 horas, na Universidade de Fortaleza (Unifor). À tarde, Tales Sampaio profere outra palestra sobre o panorama global do tabagismo, a partir das 14h30min, no Auditório Waldir Arcoverde da Secretaria da Saúde do Estado, na Avenida Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema.

No Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio, segunda-feira, a programação começa às 10 horas, no Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (Hospital de Messejana), com a troca de um cigarro por uma muda de planta. À tarde, o psicólogo Gabriel Seffair, vice-presidente do Comitê Coordenador do Controle do Tabagismo no Brasil no Ceará, traça o panorama global do tabagismo, em palestra no Shopping Benfica, a partir das 14h30min.

Para o Dia Mundial sem Tabaco deste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu o tema “Gênero e Tabaco”, com enfoque no tabagismo feminino. As ações têm como finalidade alertar sobre as estratégias que a indústria do tabaco utiliza para alcançar o público feminino e sobre os males que seus produtos causam à saúde da população e ao meio ambiente. O tabagismo é considerado pela OMS a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Até algumas décadas atrás, acreditava-se que os efeitos da dependência do tabaco era mais forte nos homens, mas à medida que novas gerações de fumantes foram chegando, verificou-se que, as mulheres são igualmente ou mais suscetíveis aos malefícios do fumo, devido às peculiaridades próprias do sexo, como a gestação e o uso da pílula anticoncepcional.A mulher fumante tem um risco maior de infertilidade, câncer de colo de útero, menopausa precoce (em média 2 anos antes) e dismenorréia (sangramento irregular).

É preocupante o aumento da prevalência do uso do tabaco entre meninas. O novo relatório da OMS, “Mulheres e saúde: evidência de hoje, a agenda de amanhã”, aponta para indícios de que o foco da publicidade do tabaco é cada vez mais as meninas. Os dados de 151 países mostram que cerca de 7% das adolescentes e de 12% dos adolescentes meninos fumam cigarros. Em alguns países, há a mesma proporção de fumantes entre os adolescentes meninos e meninas.

As mulheres representam, de acordo com dados da OMS, 20% do total 1 bilhão de consumidores do mundo. O tabaco é a causa de morte de 5 milhões de pessoas em todo o mundo. Os prejuízos estimados pela OMS devido a problemas provocados pelo produto são de US$ 200 bilhões ao ano.

Segundo a OMS, o tabagismo vem crescendo entre o sexo feminino e as pesquisas recentes indicam que as fumantes têm risco elevado de desenvolver vários tipos de câncer, incluindo da cavidade oral, faringe, laringe, esôfago, pâncreas, rins, bexiga e útero, além de elevar o risco de infertilidade. As mulheres que fumam ainda duplicam o risco de desenvolver doenças cardíacas e aumentam em 10 vezes a probabilidade de morrer de bronquite crônica ou enfisema pulmonar.

O risco de infarto do miocárdio, embolia pulmonar e tromboflebite em mulheres jovens que usam anticoncepcionais e fumam chega a ser dez vezes maior que o das que não fumam e usam a pílula. A combinação também eleva em oito vezes o risco de acidentes vasculares cerebrais. No último balanço do Instituto Nacional do Câncer (Inca), divulgado este ano, o câncer de pulmão está em terceiro lugar no ranking de incidência, só vem atrás do câncer de mama e do colo de útero. Estudos já constataram que 95% dos cânceres de pulmão são desenvolvidos em pacientes com histórico de fumo. O Inca prevê que, neste ano, 9.830 mulheres terão câncer de pulmão no país.

 

27/05/2010

 

Assessoria de Imprensa da Sesa
Selma Oliveira – 85 3101.5220