Ceará aproveita 84,15% das córneas preservadas para transplantes

4 de agosto de 2010

O Ceará descartou apenas 84 córneas de um total de 530 preservadas para transplantes em 2009. O percentual de descartes é de 15,84% das córneas preservadas. O 1º Relatório de Avaliação dos Dados de Produção dos Bancos de Tecidos Oculares, divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) coloca o Ceará como o sexto Estado com maior número de doadores, com um total de 443. Desses doadores, o Banco de Olhos do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) obteve 874 globos oculares, dos quais 344 foram descartados, sem condições de aproveitamento. Dos 530 globos oculares preservados, foram realizados 446 transplantes de córnea. Isso significa que 84,15% das córneas que estavam preservadas foram transplantadas.

 

Com esses números, o Ceará se mantém dentro da faixa considerada normal de descartes, situada entre 40% e 60%. Considerando o total de descartes, deixaram de ser aproveitadas 428 córneas dos 874 globos oculares captados, representando um percentual de 48,79%, abaixo do percentual de descarte do banco de olhos de Sorocaba, de 52%, considerado padrão.

 

Desde 2006, quando foi implantado o banco de olhos do HGF, o Ceará já realizou 1.551 transplantes de córneas e, ano a ano, o número de doações e transplantes vem crescendo. Em 2006 foram 433 doações de córneas, 177 descartes e 256 transplantes. Em 2007 foram doadas 699 córneas, descartadas 314 e transplantadas 385. Em 2008 aconteceram 851 doações, o descarte de 387 córneas e o transplante de 464. A causa mais comum apontada para o descarte de córneas no Ceará é a má qualidade do tecido, seguida de sorologia positiva para hepatite B.

 

Em todo o Brasil, o principal motivo para a não utilização de quase metade das córneas, informa a Anvisa, foi a Hepatite B e a Hepatite C, problemas de saúde que impedem a utilização do material e responsável por 38,9% dos descartes. A má qualidade do tecido ocular doado também resultou na inutilização do tecido em 30% dos casos. De acordo com o levantamento da Anvisa, em 2009 os bancos de olhos de todo o país captaram 24.608 globos oculares de 13.376 doadores. Foram preservadas 21.012 córneas e o total de descartes chegou 10.635 (43,21%). Do total de 12.324 córneas aproveitadas, 11.814 foram destinadas a transplantes, 184 a pesquisa e 326 a ensino e treinamento.

 

Recordes de transplantes

As doações e transplantes de órgãos e tecidos têm crescido ano a ano no Ceará. De 2006 para 2007, o número de transplantes aumentou de 446 para 618 (aumento de 38,5%), passando a 739 em 2008, ou 19,5% a mais que no ano anterior. Em 2009, o Ceará fechou o ano com 767 transplantes realizados. Até o dia 3 de agosto deste ano, já haviam sido realizados mais transplantes que em todo o ano de 2006. Em 2010, já são 463 transplantes realizados no Estado.

 

Foram 135 transplantes de rins, 225 de córnea, 11 de coração, 64 de fígado, 7 de medula óssea, 4 de pâncreas, 14 de esclera e 3 de válvula cardíaca. Na lista de espera por órgãos e tecidos existem 1.310 pessoas, com 782 aguardando por córnea, 276 por rim, 6 por coração, 210 por fígado, 2 por pâncreas e 37 por medula óssea.

 

04.08.2010

 

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br 85 3101.5220)