Curso forma coordenadores hospitalares de transplantes

4 de agosto de 2010

Sessenta profissionais de saúde que trabalham em hospitais no Ceará participam nos dias 5, 6 e 7 de agosto do Curso de Formação de Coordenadores Hospitalares de Transplantes, no Hotel Oceani Resort. Promovido pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), com apoio da Secretaria da Saúde do Estado, o curso tem como objetivo consolidar as Comissões Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) e estimular a criação de novas comissões, com a formação de coordenadores de transplantes com conhecimento básico do processo doação-transplante, que permitirá ao profissional atuar em todas etapas do processo.
As Comissões Intra-hospitalares fazem a entrevista familiar para a doação. São responsáveis pela identificação e manutenção de potenciais doadores. Agilizam o processo de doação e transplante. A legislação determina que todo hospital, público ou privado, com mais de 80 leitos deve instituir a comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos. No Ceará foram instituídas e estão em funcionamento 17 comissões. Levantamento da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde identificou 30 hospitais com mais de 80 leitos e capacidade técnica, como manter UTI e neurologista, para a implantação de CIHDOTT e se tornarem doadores. Profissionais das comissões e desses hospitais participarão do curso da ABTO.

Recordes de transplantes
As doações e transplantes de órgãos e tecidos têm crescido ano a ano no Ceará. De 2006 para 2007, o número de transplantes aumentou de 446 para 618 (aumento de 38,5%), passando a 739 em 2008, ou 19,5% a mais que no ano anterior. Em 2009, o Ceará fechou o ano com 767 transplantes realizados. Até o dia 3 de agosto deste ano, já haviam sido realizados mais transplantes que em todo o ano de 2006. Em 2010, já são 463 transplantes realizados no Estado.
Foram 135 transplantes de rins, 225 de córnea, 11 de coração, 64 de fígado, 7 de medula óssea, 4 de pâncreas, 14 de esclera e 3 de válvula cardíaca. Na lista de espera por órgãos e tecidos existem 1.310 pessoas, com 782 aguardando por córnea, 276 por rim, 6 por coração, 210 por fígado, 2 por pâncreas e 37 por medula óssea.

04.08.2010
Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br 85 3101.5220)

Sessenta profissionais de saúde que trabalham em hospitais no Ceará participam nos dias 5, 6 e 7 de agosto do Curso de Formação de Coordenadores Hospitalares de Transplantes, no Hotel Oceani Resort. Promovido pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), com apoio da Secretaria da Saúde do Estado, o curso tem como objetivo consolidar as Comissões Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) e estimular a criação de novas comissões, com a formação de coordenadores de transplantes com conhecimento básico do processo doação-transplante, que permitirá ao profissional atuar em todas etapas do processo.
As Comissões Intra-hospitalares fazem a entrevista familiar para a doação. São responsáveis pela identificação e manutenção de potenciais doadores. Agilizam o processo de doação e transplante. A legislação determina que todo hospital, público ou privado, com mais de 80 leitos deve instituir a comissão intra-hospitalar de doação de órgãos e tecidos. No Ceará foram instituídas e estão em funcionamento 17 comissões. Levantamento da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde identificou 30 hospitais com mais de 80 leitos e capacidade técnica, como manter UTI e neurologista, para a implantação de CIHDOTT e se tornarem doadores. Profissionais das comissões e desses hospitais participarão do curso da ABTO.

Recordes de transplantes
As doações e transplantes de órgãos e tecidos têm crescido ano a ano no Ceará. De 2006 para 2007, o número de transplantes aumentou de 446 para 618 (aumento de 38,5%), passando a 739 em 2008, ou 19,5% a mais que no ano anterior. Em 2009, o Ceará fechou o ano com 767 transplantes realizados. Até o dia 3 de agosto deste ano, já haviam sido realizados mais transplantes que em todo o ano de 2006. Em 2010, já são 463 transplantes realizados no Estado.
Foram 135 transplantes de rins, 225 de córnea, 11 de coração, 64 de fígado, 7 de medula óssea, 4 de pâncreas, 14 de esclera e 3 de válvula cardíaca. Na lista de espera por órgãos e tecidos existem 1.310 pessoas, com 782 aguardando por córnea, 276 por rim, 6 por coração, 210 por fígado, 2 por pâncreas e 37 por medula óssea.

04.08.2010
Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br 85 3101.5220)