Transnordestina: começam as obras no trecho Missão Velha-Pecém

14 de dezembro de 2010

As obras do trecho de 527 quilômetros de extensão da Ferrovia Transnordestina, que vai ligar o município de Missão Velha, no Cariri do Ceará, ao Porto do Pecém, na Região Metropolitana de Fortaleza, começam a ser executadas. A assinatura dos três contratos de realização das obras de infraestrutura da Ferrovia foram assinados nesta segunda-feira (13), em solenidade com o presidente Lula e o governador Cid Gomes, em Missão Velha.

 

Antes da solenidade, o Presidente e sua comitiva, acompanhado do governador Cid, percorreram o trecho já concluído, do marco zero da Ferrovia, no município de Salgueiro, interior de Pernambuco, a Missão Velha. Com a implantação da Ferrovia, o investimento nessa região será de R$ 5 bilhões. No trecho cearense, serão gerados, a partir de agora, mais 7 mil novos postos de trabalho.

 

Durante a solenidade, Cid Gomes lembrou que Lula esteve há quatro anos no município iniciando um trabalho, resultado do compromisso que ele tem com as regiões mais pobres do Brasil. O Governador cearense destacou também que, através da parceria com o Governo Federal, estão sendo viabilizadas ações estruturantes no Ceará. “Há mais de 40 anos falamos em Transnordestina e foi o Lula que a colocou em prática”, lembrou Cid.

 

Ainda no discurso, o Governador também destacou os programas sociais implantados no governo Lula e que estão mudando o perfil da população brasileira. Segundo Cid, a União está implantando a maior quantidade de universidades que o Brasil já viu e dobrando o número de escolas técnicas que todos os presidentes já fizeram. Cid Gomes também aproveitou para agradecer: “Muito obrigado pelo olhar que o senhor deu ao Nordeste e ao que o senhor ajudou e tem feito pelo Ceará. O senhor deixa o País em boas mãos e eu tenho certeza que a presidente eleita, Dilma, vai dar sequência a tudo que o senhor está fazendo”, disse. Aos cearenses, Cid deixou a mensagem: “Estamos trabalhando para o Ceará ser um estado com gente melhor e mais qualidade de vida”.

 

O presidente Lula iniciou o discurso em tom de despedida. “Hoje é a despedida de alguém que governou um país destinado ao fracasso. Mas nunca perceberam que na minha vida política nunca recebi nada de graça, cada vitória foi suada, mas eu vim predestinado a provar que um torneiro mecânico tinha capacidade de governar esse país mais do que a elite brasileira.”, disse, ao concluir que com ele os brasileiros conheceram a paixão, emoção e o compromisso que faltava na política brasileira.

 

Lula lembrou que em 2003 havia assumido um compromisso da garantia de que o brasileiro pudesse tomar café-da-manhã, almoçar e jantar e isso já teria valido a pena ser Presidente da República. Depois, segundo ele, percebeu que o Governo Federal foi fazendo o necessário, para depois fazer o possível e por último o impossível. Com as colocações, o presidente Lula, afirmou que a pobreza está diminuindo no Brasil e que as grandes obras estruturantes estão virando realidade. “A Transposição das Águas do Rio São Francisco era desejo de D. Pedro II, em 1847, por conta dos graves problemas de seca no Nordeste, e precisou vir o Lulinha pra fazer”, bricou. Ele avisou que o Canal do São Francisco será inaugurado em 2012 e vai beneficiar mais de 12 milhões de brasileiros. 

 

No Ceará, o presidente afirmou que pretende voltar até o fim do seu mandato para lançar a pedra fundamental da Refinaria de Petróleo, que a Petrobras está implantando com 300 mil barris de petróleo. “Há 30 anos que a Petrobras não fazia uma refinaria no Brasil. Quem não podia fazer uma, tá fazendo cinco”, comemorou. E acrescentou: “Tudo isso pra gente provar que a arte de governar é a arte de planejar, e a arte de planejar é a arte de assumir compromissos, com prioridades”, explicou. Para finalizar, Lula resumiu: “Não era justo que o Nordeste continuasse sendo tratado como a escória desse País. Nunca quis tirar nada de ninguém, a gente quer apenas ter o mesmo direito do resto do País. Queremos que o Nordeste, o Norte, o Centro-Oeste, o Sul e o Sudeste sejam tratados igalmente pelo Governo Federal”. E brincou: “Quem vai estar aqui eu não sei, mas nós vamos estar juntos em Missão Velha inaugurando essa Ferrovia”, despediu-se.  

 

O diretor geral de transportes do Governo Federal, Bernardo Figueiredo, considerou a Transnordestina como símbolo das mudanças realizadas no sistema ferroviário brasileiro. “A Transnordestina vai ligar o Nordeste do Brasil ao sistema ferroviário nacional”, avalia. Figueiredo adiantou que já está previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) a ligação da Transnordestina com a Ferrovia Norte Sul. 

 

O presidente da Transnordestina, Tufi Daher, destacou que a ferrovia vai possibilitar ao Ceará importar e exportar toda sua produção, e que será um marco para os estados do Piauí, Ceará e Pernambuco. Tufi disse também que o empenho e a dedicação do presidente Lula para tirar o projeto do papel foram decisivos. ” O presidente Lula participou de mais de 40 reuniões empenhado em tirar a transnordestina do papel, para podermos estar cumprindo uma promessa de que ele andaria nos trilhos da Transnordestina. Emocionado, Tufi disse ao Presidente: “Pode ter certeza que nós concluiremos essa Transordestina relembrando cada momento que passamos com o senhor” disse.

 

O prefeito de Missão Velha, Washington Luis, agradeceu as parcerias e comemorou a oportunidade de desenvolvimento do município. “Estamos trabalhando com as parcerias dos governos federal e estadual para transformar Missão Velha em um canteiro de obras”, comemorou.

 

As construtoras responsáveis pelos trechos do Ceará são: Odebrecht, Galvão e Andrade Gutierrez.

 

Participaram também da solenidade o ministro da Integração Nacional, João Santana; o senador Inácio Arruda; o presidente da Assembleia Legislativa, Domingos Filho; os deputados federais Eunício Oliveira e José Pimentel, deputados estaduais e prefeitos.

 

14.12.2010

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil (comunicacao@casacivil.ce.gov.br / 85 3101.6247)