HGF começa a realizar transplante lamelar de córnea

22 de dezembro de 2010

Recuperação mais rápida, menos riscos de rejeição e maior tempo de vida para a córnea doada. Essas são algumas das vantagens apresentadas pela nova técnica que começou a ser utilizada na última semana no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

O transplante lamelar de córnea é uma técnica moderna de transplante de córnea aonde se retira somente o estroma coreano (a parte doente da córnea), mantendo-se a membrana de Descemet e o endotélio. A técnica conhecida como “Big Bubble”, na qual se separa a membrana de Descemet do estroma utilizando uma bolha de ar é a mais utilizada.

No HGF, o primeiro transplante lamelar foi realizado na sexta-feira, 17, pelo médico cirurgião-oftalmologista, Sisley Jean. Ele explica que a técnica é indicada quando há possibilidade de se preservar parte da córnea, como é o caso de pacientes com a doença ceratocone. “A partir de agora, vamos utilizar a técnica em todos os transplantes de córnea de pacientes com ceratocone.” Com a sobrevida maior da córnea, vamos ter menos pacientes na fila de espera por uma córnea.”

O transplante lamelar tem as vantagens de recuperação visual mais rápida, menor risco de rejeição da córnea doadora e maior tempo de sobrevida do transplante, pelo fato de preservar as células endoteliais do paciente.

O número Um

Gilberto Barbosa, de 25 anos, é de Baraúna, no Rio Grande do Norte. Ele foi o primeiro paciente no Ceará a ser submetido ao transplante lamelar na rede pública. Logo que foi diagnosticada a doença ceratocone, há cerca de um ano, ele foi encaminhado para fazer tratamento no Hospital Geral de Fortaleza, HGF. No olho esquerdo, o tratamento com lente de contato ainda é eficiente. Mas no olho direito, mesmo com a lente, Gilberto não enxergava mais. Por isso, ele entrou na lista de espera por uma córnea. Na sexta-feira, 17, ele foi submetido ao procedimento que durou cerca de duas horas. Na terça-feira, 21, ele retornou ao setor de Oftalmologia para avaliação médica. Gilberto não escondia a felicidade. Apenas 4 dias após a cirurgia, Gilberto já enxergava com o olho direito. Pelo transplante perfurante(convencional), em geral, a recuperação da visão começa a partir do segundo mês após a cirurgia. “Estou muito feliz. Vou voltar pra casa pra comemorar com minha família meu presente de Natal.”

Ceratocone

 

A ceratocone é uma doença não inflamatória que causa o afinamento progressivo da córnea resultando em baixa da visão. O tratamento vai desde o uso de lentes de contato especiais, passando pelo implante de anéis intra-corneanos até o transplante de córnea, indicado em cerca de 20% dos casos.

22.12.2010

Assessoria de Imprensa do HGF

Gilda Barroso (gildabarroso@gmail.com / 85 3101.7086)