Governo do Estado otimiza custos e amplia investimentos

3 de janeiro de 2011

O Governo do Estado, através do Conselho de Gestão por Resultados e Gestão Fiscal (COGERF), anunciou as medidas que serão tomadas no controle de despesas do Estado para essa gestão. O anúncio foi feito pelo secretário da Fazenda, Mauro Filho, que segundo informou uma das medidas será o fechamento do caixa para despesas não obrigatórias. “A meta é conter R$ 500 milhões, esse valor representa cerca de 12% dos mais de R$ 4,3 bilhões gastos com custeio nos órgãos estaduais”, informou o secretário.

 

 

Mesmo com a medida, o Governo do Estado permanece com a sua capacidade de investimento, que fechou o ano de 2010 com R$ 3,2 bilhões, quando a média dos últimos 20 anos foi de R$ 650 milhões por ano. “A expansão de investimentos acaba gerando aumento de gastos desnecessários por isso o Cogerf está aconselhando que essa medida seja tomada. Mas os recursos já estão garantidos para os próximos investimentos. O caixa do Estado está bem sólido financeiramente”, reforçou Mauro Filho.

 

 

O Decreto que contingenciará os recursos deverá ser anunciado na próxima sexta-feira (07) e áreas serão definidas pelo Governador do Estado, Cid Gomes. “Serviços de atendimento básico a população não sofrerão alterações”, explicou Mauro Filho. “Essa contenção representa diminuição em contas de luz e água, por exemplo. Isso vai permitir que mais investimentos sejam destinados a saúde, educação, moradia”, completou o secretário chefe do Gabinete do Governador, Ivo Gomes.

 

 

Ainda segundo o secretário, o Ceará será o primeiro estado brasileiro a honrar com o pagamento integral da dívida pública estadual (Lei Federal 9496). “O Estado já está pleitando junto ao Tesouro Nacional a saída do Ceará do Programa de Ajuste Fiscal (PAF), que impõe limites ao processo de ampliação econômica dos estados brasileiros ”, finalizou Mauro Filho.

 

 

03.01.2011

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

 

Casa Civil (comunicacao@casacivi.ce.gov.br / 85 3101.6247)