Quase 10 mil toneladas de lixo são encontradas na rede de esgoto de Fortaleza

13 de janeiro de 2011

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) retirou mais de 9.320 toneladas de lixo da rede de esgoto de Fortaleza em 2010. Foram cerca de 776 toneladas por mês. O material, que é despejado de forma irregular na rede, provoca entupimento das tubulações, danifica equipamentos e causa extravasamento dos poços de visita. Com isso, há risco de doença para a população pela exposição do esgoto não tratado.

Um dos pontos mais críticos de Fortaleza é a Praia do Futuro. A rede que atende à área recebe, constantemente, material sólido que provoca entupimento das tubulações. Um lixo comum na tubulação é o resto do caranguejo consumido na praia. Há, também, restos de comida, roupas, galhos e areia. Segundo o gerente de macrocoleta e tratamento de esgoto da Cagece, Hildel Freire, a areia da Praia do Futuro e do bairro Serviluz entra na tubulação tanto pela ação do vento quanto pela ação do homem.

Quando há entupimento, é preciso que um carro com jato de água e sucção por vácuo faça a desobstrução. O restante do material que passa é coletado nas estações elevatórias e de tratamento. Em seguida, o material sólido fica retido no tratamento preliminar, que consiste em gradeamento e caixa de areia. Posteriormente, o lixo é acondicionado em caçambas e encaminhado ao aterro sanitário de Caucaia. Na estação de tratamento é possível encontra resíduos de pneus, areia, roupas, plásticos, brinquedos, utensilios domésticos e restos de mobílias.

 

13.01.2011

Assessoria de Imprensa da Cagece

Márcio Teles (marcio.teles@cagece.com.br / 85 3101.1826 – 3101.1828)