Curso aborda novas tecnologias na produção e processamento industrial do caju

8 de fevereiro de 2011

Durante toda esta semana, a Secretaria da Ciência Tecnologia e Educação Superior (Secitece) realiza o treinamento que capacita técnicos sobre as tecnologias mais atuais para a produção do caju. O curso “Sistema de Produção do Cajueiro: Tratos Culturais, Controle Fitossanitário e Processamento Industrial” é realizado no Campo Experimental de Pacajus, e está treinando os técnicos de nível superior envolvidos no Projeto de Inclusão Social e Produtiva na Cadeia do Caju dos territórios do Vale do Aracatiaçu e Maciço de Baturité. O encerramento do primeiro módulo acontece na próxima sexta-feira (11).  

O curso, segundo a Secitece, integra as atividades promovidas pela pasta no projeto Intercaju, que vem apoiando à implantação de ferramentas tecnológicas na produção e comercialização do caju. “O treinamento irá contribuir para o desenvolvimento dessa atividade nessas áreas”, explica o titular da Secitece, René Barreira, já que os moradores dos Vales do Aracatiaçu e do Maciço de Baturité têm a cajucultura como uma das principais atividades econômicas, sejam reunidos em micro e pequenas empresas ou através da agricultura familiar.

São dois módulos de 40 horas cada. O primeiro, ministrado nesta semana, tem como foco o sistema de produção do caju. O segundo módulo será ministrado entre os próximos dias 21 e 25 de fevereiro e abordará o processamento industrial.

O treinamento é ministrado por pesquisadores da Embrapa Agroindústria Tropical, que possuem qualificação em todos os elos da cadeia produtiva do caju. “Com o curso, serão melhoradas as práticas de produção e processamento industrial do caju, por meio do aumento da produtividade, utilização do pedúnculo do caju e formação de equipes de multiplicadores, responsáveis pela difusão das tecnologias”, explica Francisco Carvalho, coordenador de Ciência e Tecnologia da Secitece.

Projeto intercaju

O projeto Intercaju foi concebido pelo Governo Estadual, através da Secitece, e já teve recursos aprovados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Em conjunto com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e Sebrae, a iniciativa vem desenvolvendo a cajucultura nas regiões do Vales do do Curu e Aracatiaçu e do Maciço de Baturité.

Dentre as medidas implantadas estão o estímulo à organização dos produtores e a inserção, dentro da cadeira produtiva, de tecnologias que garantam aumento na produtividade, o que trará também melhoria das condições de trabalho”, explica José Ismar Parente, consultor da Secitece e responsável pela elaboração do projeto.

A compra de equipamentos e a melhoria das instalações nas micro e pequenas empresas são algumas das ações do projeto Intercaju que, de acordo com René Barreira, “foi concebido dentro da visão do Estado como mais uma alavanca para o desenvolvimento regional”. Os agricultores também receberão incentivo através do estímulo a agroecologia, que contempla a diminuição do uso de agrotóxicos, o comércio solidário e justo e o respeito ao meio-ambiente.

O uso da tecnologia para fins sociais e de empregabilidade prevê a expansão do número de produtores, a inclusão social e o aumento da renda na região. O projeto tem ainda a parceria da Embrapa e do Instituto Centec. “É necessária a integração de diversas instituições de apoio ao agronegócio, dos centros de ensino e pesquisa, das prefeituras locais e da comunidade rural como um todo, para o desenvolvimento da cadeia produtiva da cajucultura na região”, complementa René Barreira.

08.02.2011

Assessoria de Imprensa da Secitece

Simplícia Vianna (plicia@a2online.com.br / 85 3101.6466)