Banco de Leite do Hospital César Cals funciona também Carnaval

4 de março de 2011

Até no Carnaval o Banco de Leite do Hospital Geral Dr. César Cals, unidade da Secretaria da Saúde do Estado, não para. Funciona normalmente das 7 horas da manhã até às 7 horas da noite para receber doações, tirar dúvidas e ainda para dar orientações sobre amamentação.  Basta ligar gratuitamente para 0800 286 5678. Uma equipe preparada com técnicos e auxiliares de enfermagem, nutricionistas, bioquímicos, enfermeiras estará pronta para o atendimento.

 

Atualmente, cerca de 55 bebês estão internados na Unidade de Terapia Intensiva neonatal e no berçário de médio risco. Por isso a importância da doação também durante o feriado de Carnaval. Para as mães que têm leite em casa, basta ligar que o hospital envia um funcionário para buscar o leite. Vale lembrar que o leite deve ser guardado em frascos de vidro de maionese ou café solúvel por até 10 dias no congelador e freezer. Toda mãe que estiver amamentando e tem excesso de leite pode doar.

 

Ao doar, as mães ajudam a manter o estoque de leite do banco, que alimenta os bebês  internados no César Cals. Para suprir a necessidade diária, são necessários pelo menos 15 litros de leite. Por isso, quanto mais leite, melhor. O leite doado é pasteurizado no próprio hospital. Quando são alimentados com leite humano, o tempo de internação pode ser reduzido pela metade  e os bebês crescerão mais fortes e saudáveis.

 

Benefícios do leite materno

 

Estudos mostram que o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida pode evitar, anualmente, 1,3 milhão de mortes de crianças menores de 5 anos no mundo. Os bebês até os seis meses não precisam de chás, sucos ou outros leites, nem mesmo de água. Após essa idade, deverá ser dada alimentação complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou mais.

 

Amamentar os bebês imediatamente após o nascimento pode reduzir consideravelmente a mortalidade neonatal – aquela que acontece até o 28º dia de vida – nos países em desenvolvimento. De acordo com o Unicef, no Brasil, do total de mortes de crianças com menos de 1 ano, 65,6% ocorrem no período neonatal e 49,4% na primeira semana de vida.

 

O aleitamento materno na primeira hora de vida é importante tanto para o bebê quanto para a mães. Auxilia nas contrações uterinas, diminuindo o risco de hemorragia. A amamentação fortalece ainda o vínculo afetivo entre mãe e filho.

 

O leite materno contém todas as proteínas, açúcares, gorduras e vitaminas que o bebê necessita para ser saudável e protege ainda de doenças como otites, alergias, vômitos, diarreia, pneumonias, bronquiolites e meningites. Melhora ainda o desenvolvimento mental do bebê, da formação da boca e do alinhamento dos dentes, além de ser mais facilmente digerido do que o leite em pó.

 

04.03.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)