Ceará abre primeira etapa da campanha contra a febre aftosa

2 de Maio de 2011

 

Nesta terça feira, dia 3 de maio, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agrário, e em parceria com a Adagri e Ematerce, lança no Ceará, a primeira etapa da campanha contra a febre aftosa. A abertura será na fazenda Nazaré, em Maranguape, a 44 quilômetros de Fortaleza.

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) é o órgão responsável pela execução do Plano Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA ) no Ceará. Com o apoio da Ematerce, Secretaria do Desenvolvimento Agrário e Governo do Estado, o objetivo da campanha, este ano, é vacinar 90% do rebanho e alcançar o status de risco de zona livre da febre aftosa com vacinação, com reconhecimento internacional em 2012.

 

Há mais de dez anos, o Ceará não registra casos de febre aftosa. Este resultado, levou o Estado a alcançar em dezembro de 2009, o status de risco de nível médio da doença. A mesma classificação da maioria dos estados do Nordeste, com exceção da Bahia e do Sergipe, estados já livres da aftosa. O Ceará tem 2 milhões e 500 mil animais, entre bovinos e bubalinos (búfalo) e 140 mil produtores. A vacinação de todo esse rebanho significa, além da classificação de zona livre da febre aftosa, a abertura do comércio para outros estados do Brasil.

 

As vacinas já estão disponíveis nas revendas de todo o estado. Na hora da compra, é obrigatória a presença de um fiscal da Adagri para atestar as condições de conservação da vacina. Cada dose custa em média R$ 1,50. A multa para o produtor que não vacinar o rebanho é de R$ 13,43 por cabeça.

 

Além da multa, o produtor não poderá comercializar o animal que não foi vacinado. Este controle é feito com a GTA (guia de trânsito animal). A GTA é um documento indispensável para o controle de entrada e saída de doenças no Estado. É através dele que os fiscais controlam a movimentação de animais e garantem o transporte de rebanhos sadios. O documento é obrigatório para todos os animais que serão transportados entre os estados, com exceção de cães e gatos. Sem a GTA, o animal não sai do Estado e não pode ser comercializado.

 

A febre aftosa é uma doença contagiosa, causada por um vírus de rápida multiplicação. O animal infectado apresenta feridas na boca, nos lábios, nas testas e nos cascos. Os bichos também se afastam do rebanho, babam, não comem e não bebem água.

 

O secretário do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, e o presidente da Adagri, Augusto Júnior, estarão presentes na abertura da campanha. O apelo é para que todos os produtores vacinem os animais: “ Isso vai aumentar as fronteiras de negociação. Saindo do risco médio com vacinação da febre aftosa, poderemos negociar com mais estados”, diz Augusto Júnior.

 

02.05.2011

Assessoria de Imprensa da Adagri

Amanda Sobreira – 85 8885 9045/ 9987 5168