Economia cresce 4,7% no primeiro trimestre e supera média nacional

8 de junho de 2011

A economia cearense, medida pelo Produto Interno Bruto (PIB), cresceu 4,7%(a preço de mercado) no primeiro trimestre de 2011, superando, inclusive, a média percentual do Brasil para o mesmo período, de 4,2%. Na comparação da economia cearense e brasileira pelo Valor Adicionado a preços básicos, ou seja, sem a inclusão dos impostos, a taxa de crescimento do Ceará foi ainda maior, totalizando 5,2%, bem superior a do Brasil, que ficou em 3,8%.

 

Os dados do PIB cearense foram divulgados pelo Instituto de Pesquisa Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado do Ceará (Seplag). As informações foram repassadas pelo diretor do Ipece, professor Flávio Ataliba, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (08), realizada no auditório no Edifício Seplag.

 

Para os primeiros trimestres de 2009 e 2010, o comportamento da economia cearense foi, em geral, melhor que o Brasil, mostrando-se em vigor mesmo em período de crise, como foi o caso do começo do ano 2009, quando Brasil apresentou uma queda nos três primeiros trimestres e o Ceará cresceu ao longo de todo ano. Em 2010, mesmo com uma base superior à média nacional, a economia do Ceará manteve o ritmo de crescimento, atingindo valores muito próximos aos registrados pela economia brasileira nos dois primeiros trimestres e valores superiores nos dois últimos.

 

Na análise por setores (Serviços, Agropecuária e Indústria) observa-se que o de agropecuária apresentou melhor crescimento no primeiro trimestre de 2011, com 26% sobre o mesmo período do ano passado, quando a taxa ficou em menos 1,6%. No entanto, o setor tem o menor peso na economia cearense. Mesmo assim, o crescimento ficou bem acima da média brasileira, que foi de 3,1%.

 

Já o setor de serviços obteve índice de 5,4%, também superando a média nacional, que foi de 4% no primeiro trimestre de 2011, mas o resultado foi menor do que o obtido no primeiro trimestre de 2010, que foi de 8,5%. Neste segmento, merecem destaques os resultados obtidos pelo comércio, com taxa de crescimento de 10,5%, e de alojamento e alimentação, com 10,4%0. Também o setor de transportes obteve resultado de 7,5% e o de intermediação financeira de 5,2%.

 

No setor industrial o resultado do PIB do primeiro trimestre de 2011 ficou em 1,2%, inferior à média brasileira, que foi de 3,5%, e cearense de 2010: de 9,2%. Com o resultado – avalia o diretor Geral do Ipece, professor Flávio Ataliba – a atividade industrial no Estado mantém a trajetória de crescimento, embora com um ritmo menor do que o observado no início de 2010.

 

As explicações para esta mudança na velocidade da expansão residem, especialmente, na base de comparação elevada e os efeitos da política monetária restritiva adotada pela autoridade monetária no final do ano passado – avalia o Professor – ressaltando que o aumento do endividamento das classes C e D e, consequentemente a queda verificada no consumo – também foram fatores preponderantes para a queda no desempenho industrial.

 

08.06.2011

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)