Castelão: implosão levou apenas 9 segundos

12 de junho de 2011

Em exatamente nove segundos e conforme o previsto, os 20% da arquibancada do Castelão vieram ao chão às 9 horas deste domingo (12). Essa foi mais uma etapa das obras de ampliação, modernização e adequação do estádio Plácido Aderaldo Castelo, o Castelão, para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. A área será utilizada para a construção do Edifício Central, onde funcionarão os Camarotes e toda a inteligência do Castelão, com Sala de Monitoramento, Controle Automatizado do Estádio, Broadcasting, além de Camarotes, Media Center, Áreas Vips, Vestiários etc.
Logo após a implosão, o secretário especial da Copa 2014, Ferruccio Feitosa, reforçou o avanço do andamento das obras do Castelão, estando apto para ser uma das sedes da Copa das Confederações, que será realizada em 2013. Além disso, o secretário ressaltou que o Castelão é a única arena do Nordeste com possibilidade de receber uma partida de semifinal da Copa, já que tem capacidade para mais de 60 mil espectadores.
Para realizar a implosão – que consumiu meia tonelada de explosivos- o Consórcio Castelão, responsável pela obra, contratou a única empresa brasileira com certificação ISO 9000, a Fábio Bruno Construções. Desde 1970, a empresa dedica-se a serviços de implosões, túneis e desmonte de rocha com a realização de mais de 20 implosões de edificações de grande porte com sucesso. Em parceria com a norte-americana ASI (Applied Science International, LLC), a Fábio Bruno Construções utiliza um software capaz de simular a implosão, prevendo assim os mais diferentes cenários possíveis e possibilitando a otimização das ações para garantir o sucesso da operação.
Ao todo, foram 245 pessoas e 54 viaturas envolvidas diretamente para garantir a segurança e a ordem durante toda a ação. A ação foi um trabalho integrado da Secretaria Especial da Copa 2014, Consórcio Castelão, Defesa Civil do Estado e do Município, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Autarquia Municipal de Transito (AMC), Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Guarda Municipal de Fortaleza e Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza.
Os trabalhos tiveram início às 6 horas, com o posicionamento das equipes. Até as 10 horas, os itinerários das linhas de ônibus e vans que costumam operar no entorno do Estádio foram alterados. A população residente na área de segurança máxima, a 200 metros de raio do Castelão, também foi evacuada e retornou para as residências às 10 horas.
Prevenção
Para garantir o sucesso total da ação, medidas preventivas foram realizadas desde abril deste ano. Entres elas, está a Inspeção Cautelar de todas as residências próximas ao Castelão. Dessas visitas, foi produzido um documento personalizado, registrado em cartório, que identifica a condição atual de cada uma das residências para que, em caso de algum dano causado pela implosão, seja providenciada a reparação.
Com o apoio da Defesa Civil, foram realizadas ainda visitas a cada um dos moradores com a distribuição de instruções documentadas, informando todos os detalhes de como será realizada a operação. Além disso, o Consórcio Castelão dispôs de seguros de Responsabilidade Civil e de Engenharia para garantir a proteção e segurança não só da obra, mas de toda a periferia, em caso de eventualidades.
Outra medida foi a instalação de três sismógrafos que irão determinar a direção das ondas, a hora da sua chegada e a intensidade, possibilitando assim o cálculo da distância e da intensidade real da vibração provocada pela implosão.
12/06/2011
Assessoria de Imprensa da Secopa
Lisiane Linhares ( lisiane@secopa.ce.gov.br / 85 85 3101.6281 –  8778.0024)