Seminários atualizam informações sobre controle da Peste

28 de junho de 2011

A Coordenadoria de Pós-Graduação em Vigilância em Saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará, em parceria com a Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde, através do Núcleo de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde do Ceará, realiza nesta quarta-feira (29), em Pedra Branca, no Sertão Central, e no dia 30 de junho, em Baturité,  o Seminário de Atualização em Vigilância e Controle da Peste. O Seminário visa desenvolver nos profissionais de saúde conhecimentos habilidades e atitudes nas ações de vigilância e controle da Peste.

 

Estão sendo disponibilizadas 250 vagas no total, contemplando a os municípios de abrangência da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (Cres) e o município de Pedra Branca da 8ª CRES. Do evento podem participar médicos, enfermeiros, agentes comunitários de saúde, agentes de endemias, supervisores técnicos de endemias, coordenador da vigilância epidemiológica e laboratoristas.

 

A Peste

 

Infecção causada pela Yersinia pestis, a peste é conhecida desde a antiguidade e continua a ocorrer no mundo, principalmente na África, onde ocorrem mais de 90% dos casos notificados. É uma zoonose de roedores silvestres que pode ser transmitida ao homem principalmente por meio da picada de pulgas infectadas. Ela manifesta-se no ser humano sob três formas clínicas principais: bubônica, septicêmica e pneumônica. Em condições especiais, como na peste pneumônica, pode ocorrer a transmissão inter-humana, com alta letalidade e transmissibilidade.

 

No Ceará, que representa um dos focos de peste mais importantes no Brasil, os focos estão localizados nos complexos ecológicos das Serras de Baturité, do Machado, das Matas, da Pedra Branca, de Uruburetama, da Ibiapaba e Chapada do Araripe.  

 

Na década de 1980, onde a peste persistiu, até 1986, de forma endêmica na Serra da Ibiapaba, e um surto na Serra de Baturité, de 1982 a 1985, foram confirmados 89 casos humanos. Na década de 1990, apenas três casos humanos foram registrados na Serra da Ibiapaba e, em 2005, mais um caso foi confirmado na Serra da Pedra Branca (ARAGÃO et al, 2007).

 

Maiores informações na Coordenadoria de Pós-Graduação em Vigilância em Saúde pelos telefones 3101-1400 e 3101-1407.

 

28.06.2011

Assessoria de Comunicação da ESP
Clarisse Cavalcante (ascom@esp.gov.br / (85) 3101.1412)