Comércio varejista do CE cresce 102,9% e supera desempenho nacional

8 de julho de 2011

O crescimento acumulado das vendas do varejo cearense, no período de dezembro de 2001 a dezembro de 2010, foi de 102,9%, ultrapassando, inclusive, o índice registrado no Brasil, de 68,3%. O bom desempenho mensal nas vendas do varejo cearense fez com que o crescimento no acumulado do ano de 2010 fosse o segundo maior desde 2001, voltando a apresentar variação de dois dígitos, ficando abaixo apenas do registrado no ano de 2005, que apontou alta de 16,06 por centro. Os dados estão no Ipece/ Informe nº 13, que tem como título “Uma Análise da Dinâmica do Comércio Varejista Cearense em 2010 e o Desempenho no 1º Trimestre de 2011”.

 

O mais novo trabalho do Ipece foi divulgado na quita-feira (07) pelo diretor Geral do Instituto, professor Flávio Ataliba, que destacou o avanço na taxa de crescimento anual do varejo nos últimos três anos, o que revela o ganho de importância dessa atividade para a economia local. De acordo com dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do mês de dezembro de 2010, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Comércio Varejista do Ceará registrou baixa no período de -0,39 por cento frente ao mês anterior (ajustada sazonalmente).

 

No entanto, o índice do volume de vendas de dezembro/10, foi o segundo maior desde janeiro/2000, revelando assim, o alcance de um novo patamar para o volume de vendas do varejo cearense. Enquanto isso, o desempenho do varejo no país também registrou variação negativa de 0,01% na mesma comparação. Nas demais comparações obtidas das séries originais, o varejo cearense no mês de dezembro/10 conquistou, em termos de volume de vendas, um acréscimo de 11,22%, comparado ao mesmo mês do ano passado, mantendo, portanto, um crescimento superior ao do país de 10,13%.

 

Além disso, as vendas do comércio local superaram novamente o crescimento das vendas nacionais que registraram alta acumulada de 10,87%, em 2010. Mesmo com o país tendo apresentado forte aceleração das vendas frente a 2009, isso ainda não foi o suficiente para superar a boa performance apresentada por essa atividade no Estado do Ceará, captada pela diferença de crescimento no acumulado dos últimos 12 meses – observa o Diretor Geral do IPECE. O estudo completo pode ser acessado no site do IPECE (www.ipece.ce.gov.br)

 

No mês de dezembro/10, todas as oito atividades do varejo comum pesquisadas, apresentaram expansão no volume de vendas comparado ao mesmo mês do ano anterior, cujas taxas, por ordem de crescimento, foram: 45,22% para Livros, Jornal, Revistas e Papelaria; 21,50% para Artigos Farmacêuticos, Médicos, Ortopédicos, de Perfumaria e Cosméticos; 16,42% para Equipamentos e Materiais para Escritório, Informática e Comunicação; 15,99% para Hipermercados, Supermercados, Produtos Alimentícios, Bebidas e Fumo; 15,01% para Móveis e Eletrodomésticos; 4,73% para Outros Artigos de Uso Pessoal e Doméstico; 0,93% para Combustíveis e Lubrificantes; e 0,49% para Tecidos, Vestuário e Calçados. As cinco primeiras atividades ficaram acima da variação mensal do varejo comum, que foi de 11,22%.

 

Também todos os oito segmentos do varejo comum, no acumulado do ano de 2010,  apresentaram crescimento na comparação com igual período do ano passado. Ordenados pelas maiores altas, tem-se: 29,88% para Livros, Jornais, Revistas e Papelaria; 18,72% para Hipermercados, Supermercados, Produtos Alimentícios, Bebidas e Fumo; 17,04% para Móveis e Eletrodomésticos; 14,46% para Equipamentos e Materiais para Escritório, Informática e Comunicação; 12,72%  para Artigos Farmacêuticos, Médicos, Ortopédicos, de Perfumaria e Cosméticos; 10,17% para Outros Artigos de Uso Pessoal e Doméstico; 6,99% para Tecidos, Vestuário e Calçados; e 3,54% para Combustíveis e Lubrificantes.

 

Primeiro Trimestre

Numa análise mais recente da dinâmica das vendas do comércio varejista cearense pode-se constatar que nos três primeiros meses do ano de 2011 foram registradas altas sucessivas com relação aos meses imediatamente anteriores ajustadas sazonalmente, reforçando a tendência de crescimento nas vendas do varejo local já observada ao longo do ano de 2010.

 

O país também apresentou avanço nas vendas do varejo na mesma comparação, mostrando que essa atividade não parou de crescer também em nível nacional. Todavia, numa visão de longo prazo, o Estado do Ceará apresentou uma expansão nas vendas mais significativa que a do país principalmente a partir do ano de 2006, quando o índice do volume de vendas do varejo cearense apresentou uma tendência de taxa de crescimento superior. Nota-se que essa tendência se acentuou ainda mais no início do ano de 2011.

 

O bom desempenho mensal nos três primeiros meses de 2011 fez com que as vendas cearenses no acumulado até março registrassem uma forte expansão principalmente quando comparada a uma elevada base de comparação, visto que em igual período de 2010 foi registrada a maior alta para o referido período desde 2001. Apesar desse bom desempenho, alguns setores já estão apresentando um comportamento de desaceleração no ritmo de crescimento comparado a igual período do ano passado, chegando até a apresentar queda nas vendas acumuladas, a exemplo dos setores de Combustíveis e Lubrificantes e Materiais de Construção.

 

Todavia, esses dois setores apresentaram boas taxas de crescimento no acumulado até março do ano passado o que pode ter influenciado, ainda mais, para o comportamento de queda nas vendas neste início de ano, dada a elevada base de comparação. No entanto, é evidente a desaceleração nas vendas em alguns setores do varejo cearense, quando se observa que no mês de março/11 já foram cinco os setores a apresentar queda nas vendas do varejo, ordenados pelas maiores quedas: Veículos, Motocicletas, Partes e Peças; Combustíveis e Lubrificantes; Outros Artigos de Uso Pessoal e Doméstico; Tecidos, Vestuário e Calçados e Materiais de Construção.

 

08.07.2011

Assessoria de Imprensa do Ipece
Pádua Martins ( padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)