Ceará realiza 619 transplantes de janeiro a julho

22 de julho de 2011

Julho nem terminou e o Ceará já registra nos sete primeiros meses do ano 103 transplantes a mais do que o total realizado no mesmo período de 2010, contando com o primeiro transplante de pulmão das regiões Norte e Nordeste, feito no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, no mês anterior. Este ano, no Ceará, até esta sexta-feira (22) foram feitos 619 transplantes contra 516 procedimentos de janeiro ao dia 22 de julho de 2010.

A superação dos números é registrada em diferentes órgãos transplantados. As 20 equipes transplantadoras existentes no Ceará realizaram, este ano, 146 transplantes de rim (138 no mesmo período de 2010), 358 de córnea (269 no ano passado), 12 de coração (11), 85 de fígado (64), 5 de pâncreas (4) e, ainda, 1 de esclera (12), 8 de medula óssea (10) e 3 de valva cardíaca (8). Assim, a quantidade de alguns procedimentos já se aproxima do total realizado em 2010, quando foram contabilizados 6 transplantes de pâncreas e 16 de coração.

Desde 2007 o Ceará acumula recordes de transplantes ano após ano. Enquanto em 2006 o número de transplantes ficou em 446 procedimentos, no ano seguinte aumentou para 654, em 2008 para 739, em 2009 foi a 767 e, em 2010, o recorde foi de 872 transplantes, um salto de 96% em apenas quatro anos.  No primeiro ano de funcionamento da Central de Transplantes, em 1998, esse número era bem menor: 173 transplantes.

Os recordes sucessivos vêm acompanhados de inovações na área de transplantes. O Estado  passou a realizar transplante autólogo de medula óssea em setembro de 2008. Já são 31 pessoas transplantadas e vivendo saudavelmente. Em 2009, o Hospital Geral de Fortaleza (HGF), o maior hospital público do Ceará, passou a fazer transplantes de pâncreas. No país, somente São Paulo, Paraná e Minas Gerais realizam esse tipo de transplante.

Ranking nacional

O Ceará ocupa boas posições no ranking nacional de transplantes. Em 2010, segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), foi o primeiro Estado do Nordeste e terceiro do país em transplantes de coração, com 16 procedimentos realizados. Ficou também em primeiro lugar no Nordeste e em segundo lugar no país em transplantes de fígado, realizando no ano passado 113 transplantes. Com o seis transplantes de pâncreas realizados em 2010, o Ceará ficou em primeiro lugar na região e em terceiro no Brasil. Os 232 transplantes de rim colocaram o Ceará mais uma vez em primeiro do Nordeste e em quinto do país.

Os números crescentes são resultados de diferentes ações, que vão dos investimentos na estrutura de funcionamento e de pessoal da Central de Transplantes, passando pela qualificação dos profissionais, até a mobilização das famílias. A Secretaria da Saúde do Estado investiu na compra de quatro novos aparelhos de eletroencefalogramas, necessários ao diagnóstico de morte encefálica de possíveis doadores de órgãos e tecidos. Nos últimos quatro anos, o número de médicos da Central aumentou de dois para nove.

 

22.07.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (soliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)