Procuradoria divulga consórcios habilitados para ampliação do Porto do Pecém

22 de julho de 2011

A Procuradoria Geral do Estado, por meio de sua Comissão Geral de Concorrências (CGC), apresentou os dois consórcios habilitados a proceder na construção da segunda etapa dos investimentos no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, que consistem na ampliação do Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), e na pavimentação com engorda do quebra-mar existente no tramo Norte-Sul. Os consórcios Marquise/QG/Ivaí e Serveng/Constremac/Metropolitana foram os  habilitados. Depois da publicação, a PGE aguarda, no prazo de cinco dias úteis, algum recurso contra a decisão. O consórcio CR Almeida/Triunfo/Estacom foi considerado inabilitado para o certame.

A expectativa da Secretaria da Infraestrutura (Seinfra) e Cearportos é de que até outubro, com o encerramento dos trâmites licitatórios, a obra tenha início. Orçada a um preço máximo de R$ 609 milhões pelo Governo, a obra proporcionará um ganho na política de atração de investimentos para a expansão econômica do Estado com o aumento do fluxo de contêneires e outras cargas no porto. A primeira fase de expansão do Porto do Pecém será apresentada oficialmente no próximo dia 4 de agosto, com a presença da presidenta Dilma Rousseff e do governador Cid Gomes, além de demais autoridades políticas e empresariais.

Conheça a obra

Os serviços incluem uma nova ponte de acesso ao quebra-mar existente com 1.520 metros de extensão, pavimentação de 1.065 metros sobre o quebra-mar; a ampliação do quebra- mar em cerca de 90 metros; o alargamento em cerca de 33 metros; a construção de 600 metros de cais com dois berços de atracação de navios cargueiros ou porta-conteineres voltados para operação com carga geral e produtos da siderúrgica, refinaria e ferrovia; e a ampliação do pátio da retroarea de aproximadamente 69.000 metros quadrados.

A nova ampliação deverá atender aos futuros empreendimentos, como a refinaria de petróleo Premium II, da Petrobrás, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) as necessidades da Ferrovia  Transnordestina, com trecho até o Pecém. O edital n.º 20110003 estabelece que podem participar empresas ou sociedade regularmente estabelecida no País, ou consórcio de, no máximo, três empresas de engenharia com experiência em obras similares ou de similar complexidade.

A expectativa é que, até 2016, o Complexo Industrial e Portuário do Pecém esteja composto por um berço no TMUT, um novo quebra-mar, dois berços de granéis sólidos; e cinco berços de granéis líquidos. A conclusão das intervenções acontece um ano antes da entrada em operação da refinaria Premium II, da Petrobras, prevista para início em 2017.

 

22.07.2011

Assessoria de Imprensa da Seinfra

Marcos Cavalcante/Luiz Guedes (marcos.cavalcante@seinfra.ce.gov.br / 85 3216.3764 – 8898.4318)

Twitter: @seinfrace