Cinturão das Águas dará segurança hídrica para 92% da população cearense

7 de outubro de 2011

O governador Cid Gomes e o ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra assinaram, na tarde desta sexta-feira (7), na Sala de Reuniões do Palácio da Abolição, o termo de compromisso para o projeto executivo do Cinturão das Águas do Ceará (CAC). A partir do documento será possível a realização da licitação do primeiro trecho da obra, que terá extensão de 150 km e vai do município de Jati ao Rio Cariús, na região Sul do Estado. A previsão é que o primeiro trecho do CAC seja concluído até o fim de 2014.

 

O Cinturão das Águas vai transpor águas para todo o Estado, levando água do leste ao oeste do Ceará, indo também em direção ao norte, perenizando todas as grandes bacias. “A integração do rio São Francisco irá disponibilizar ao Ceará 45 mil metros cúbicos de água por segundo. Foi por esse montante que pensamos nesse projeto”, disse Cid Gomes, ressaltando que as obras são complementares entre si, o que vai assegurar o abastecimento de água para a totalidade da população cearense.

 

No primeiro trecho, serão investidos R$1 bilhão e 500 milhões no projeto, sendo R$ 400 milhões oriundos do Governo do Estado e o restante assegurados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo o Ministro, o Ceará é pioneiro tanto nos investimentos em recursos hídricos, quanto na gestão desses projetos. “Vim ao Ceará para materializar uma reivindicação do Governo do  Estado, criando uma segurança hídrica que nenhum outro estado do Nordeste tem”, explica. Além de destacar o CAC, o Ministro ressaltou o Eixão das Águas, que dá garantia hídrica  durante 30 anos para toda a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e para os projetos estruturantes localizados no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), como a Siderúrgica, Refinaria e Zona de Processamento e Exportação (ZPE).

 

O projeto do Cinturão das Águas envolverá todo o Estado, através de um conjunto de canais e adutoras, com extensão de três mil quilômetros, para dar segurança hídrica à 92% da população cearense. O investimento total previsto é de R$ 7 bilhões. O Cinturão será formado por um canal principal que margeará a Chapada do Cariri, aproximadamente no sentido leste-oeste, para depois, com diretriz sul-norte, atravessar as bacias do Alto Jaguaribe e Poti-Parnaíba, atingindo a bacia do Acaraú, totalizando cerca de 545 quilômetros.

 

A assinatura do termo de compromisso aconteceu logo após a vista do Governador e do Ministro aos perímetros irrigados do Tabuleiro de Russas, na Região do Vale do Jaguaribe, que é um dos maiores polos de produção de frutas do Ceará. Participaram também da solenidade o senador Eunício Oliveira; o deputado estadual Zezinho Albuquerque; o secretário de Recursos Hídricos, César Pinheiro, e o diretor geral do Dnocs, Elias Fernandes.

 

Integração do São Francisco

Durante entrevista, o ministro Fernando Bezerra destacou o projeto de Integração de Bacias do Rio São Francisco. Segundo ele, a  conclusão do primeiro trecho no Ceará, que vai até do município de Brejo Santo, está prevista para dezembro de 2014, junto com a finalização das obras civis do primeiro trecho do Cinturão das Águas. O eixo norte do projeto de integração das águas do rio São Francisco percorrerá cerca de 426 km, que vai do município de Jati, no Ceará, até o município de Cabrobó, na Paraíba, disponibilizando ao Ceará 45 mil litros de água por segundo.

 

07.10.2011

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil – 85 3466.4898
comunicacao@casacivil.ce.gov.br