Mutirão para detectar câncer de pele será realizado neste sábado (26)

25 de novembro de 2011

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) participa neste sábado (26), da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, com a realização de mutirão de atendimento no Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária Dona Libânia (Rua Pedro I, 1033 – Centro) e no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), das 9 às 15 horas. A expectativa é de que os cerca de 50 dermatologistas participantes do mutirão avaliem mais de mil pacientes com suspeita de câncer de pele. Os casos confirmados serão encaminhados para procedimento cirúrgico durante a semana.

 

O câncer da pele é o mais frequente no Brasil, correspondendo a 25% dos tumores malignos registrados no país pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). Embora seja o tipo de câncer mais freqüente, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, quando detectado precocemente este tipo de câncer apresenta altos percentuais de cura.

 

Existem basicamente dois tipos de câncer de pele: o não-melanoma, que é o mais comum e raramente pode causar a morte do paciente, e o melanoma, que é o mais raro, mas é responsável por três em cada quatro mortes por câncer de pele. As neoplasias cutâneas estão relacionadas a alguns fatores de risco, mas principalmente à exposição aos raios ultravioletas do sol.

 

O câncer de pele é mais comum entre pessoas com com mais de 40 anos, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares, ou com doenças cutâneas prévias são as principais vitimas do câncer de pele.

 

Sintomas

 

Manchas que coçam, ardem, escamam ou sangram, sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor, feridas que não cicatrizam em 4 semanas e mudança na textura da pele ou dor são características do câncer de pele que o próprio portador dos sintomas pode detectar.

 

Estimativa do Inca para 2012 aponta uma incidência, no Ceará, de 48,74 casos de câncer não-melanoma por 100 mil homens e 53,05 casos por 100 mil mulheres. Em números absolutos, a estimativa do Inca é a ocorrência de 2.160 casos de câncer de pele entre homens e 2.460 casos entre as mulheres no Ceará no próximo ano.

 

25.11.2011

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)