Ocupação registra alta pelo sexto mês consecutivo

30 de novembro de 2011

A Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) registra um nível de ocupação crescente por seis meses seguidos e a taxa de desemprego total em queda nos últimos três meses. Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada nesta quarta-feira (30) pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o SINE/CE, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE).

A pesquisa revela que a taxa de desemprego total apresentou redução de 8,9%, em setembro, para 8,3% da população economicamente ativa (PEA), em outubro, com um contingente de desempregados em 150 mil pessoas, doze mil a menos que no mês anterior. Este comportamento decorreu principalmente da geração de postos de trabalho (9 mil), uma vez que o número de pessoas no mercado permaneceu relativamente estável (-3 mil).

Além disso, a ampliação do volume de ocupações elevou a estimativa de ocupados para 1.662 mil pessoas, a maior da série histórica da Pesquisa, iniciada em dezembro de 2008. A geração de postos de trabalho ocorreu em praticamente todos os setores: serviços (12 mil), comércio (3 mil) e, em menor intensidade, construção civil (1 mil) e agregado outros setores (1 mil). Destaca-se que o setor de serviços registrou o maior contingente de ocupados na série da Pesquisa (766 mil) como também o setor da construção civil (128 mil).

“Percebemos uma conjuntura favorável do mercado de trabalho, embora a economia venha crescendo num ritmo inferior ao mesmo período do ano passado. Destacamos uma elevação do nível de formalização do trabalho e a massa de rendimentos em ampliação, 5,6% em doze meses, com crescimento do emprego e dos ganhos reais de salário”, destaca o presidente do IDT, De Assis Diniz.

Quanto à posição na ocupação, os assalariados seguem em ritmo de crescimento, pelo sexto mês seguido, com seis mil novos empregos em outubro, distribuídos na iniciativa privada (5 mil) e no setor público (1 mil).

No mês de setembro de 2011, em relação ao mês anterior, houve ampliação do rendimento médio real dos ocupados (1,6%) e dos assalariados (1,0%), os quais passaram a valer R$ 932 e R$ 992, respectivamente. Dentre esses, em maior escala, elevou-se o rendimento real dos trabalhadores assalariados com carteira assinada (1,8%) e o dos autônomos (3,6%), que passaram a valer R$ 906 e R$ 683, respectivamente.

30.11.2011

Assessoria de Comunicação do IDT

Ana Clara Braga (anaclara@idt.org.br / 85 3101.5500)