86 câmeras darão apoio à segurança em Fortaleza

5 de dezembro de 2011

Identificar ocorrências e acompanhar em tempo real o que acontece em vários pontos da cidade, facilitando ainda mais o acesso da população à segurança. Esse é o principal objetivo do Circuito Fechado de TV (CFTV) que será inaugurado nesta terça-feira  (6), às 10 horas, pelo governador Cid Gomes e pelo secretario de Segurança Pública e Defesa Social, Francisco Bezerra.

 

São 86 câmeras espalhadas em pontos estratégicos da cidade que irão dar apoio à segurança dos fortalezenses. Operacionalizada pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), a sala de monitoramento funcionará 24 horas nos sete dias da semana na Sede do Batalhão de Policiamento Comunitário (Bpcom). Os pontos onde as câmeras foram instaladas foram definidos por meio de estudos estatísticos da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social.

 

Por meio da nova ferramenta de segurança, a população terá acesso fácil e rápido à polícia. As câmeras instaladas são dotadas de um sistema de áudio. Quando necessário, uma pessoa poderá acionar um botão instalado no local da câmara de vigilância e um alarme será disparado na sala de comando, identificado possíveis ocorrências e equipes de patrulhamento serão encaminhadas ao local. Da mesma forma haverá comunicação entre a sala de comando e o local da ocorrência. Através de alarmes sonoros a população será alertada e poderá se prevenir.

 

Monitoramento móvel

 

Monitoramento_Dentro2Além das 86 câmeras, a SSPDS terá equipamentos móveis de vigilância utilizando o mesmo sistema. São cinco câmeras ligadas a uma viatura com estrutura igual a da sala de vídeo monitoramento. Este sistema será usado em eventos com grande concentração de público. Os postes com as câmeras de vigilância também são dotados de um botão para comunicação entre o público e a viatura móvel.

 

Como funciona

 

Tanto para os pontos fixos como para o monitoramento móvel, as câmeras serão instaladas no topo de postes, facilitando a visão à longa distância. Através de sinais ou alertas sonoras a população será avisada de qualquer situação de risco através de auto-falantes instalados junto às câmeras.

 

Caso haja uma ocorrência no local, a população também poderá acionar a polícia através de um botão que ficará, de forma acessível, no poste de vigilância. Caso acionado, um alarme na sala de vídeo monitoramento irá disparar, indicando que naquele local há uma situação de risco e a necessidade de equipes de policiamento no local.

 

A sala de vídeo monitoramento é composta de 10 bancadas onde as câmeras estão distribuídas por setores, já funcionando com o sistema utilizado pela Ciops. As imagens são exibidas em um “vídeo wall”, com seis telas integradas de 46 polegadas, que permitem melhor visualização das imagens. Todas as imagens dos 86 pontos fixos e cinco móveis serão gravadas e arquivadas, podendo ser usadas na identificação posterior de indivíduos ou ação criminosa nos locais.

 

Investimentos

 

O sistema de monitoramento e vigilância teve um investimento de quase R$ 6,5 milhões. Para a aquisição de equipamentos e instalação das câmeras foram necessários R$ 5.964.708,61. Para a estruturação da sala de vídeo monitoramento o governo investiu R$ 137.321,40.  Já o equipamento móvel, incluindo o veículo que serve de base para a monitoração e as câmeras, foram investidos R$ 389.670.

 

Serviço:
Inauguração do Circuito Fechado de TV
Data: 6 de dezembro de 2011
Hora: 10h30min
Local: Sede do Batalhão de Patrulhamento Comunitário (SSPDS – Av. Bezerra de Menezes, 581 – São Gerardo)

 

05.12.2011

Assessoria de Comunicação da SSPDS

Henrique Silvestre / Leonardo Heffer – 85 3101.6517

Twitter: @sspdsce