Livro sobre Espécies Arbóreas será lançado nesta quarta-feira (18)

17 de janeiro de 2012

Mororó, Gonçalo Alves, Sucupira, Tatajuba. Esses nomes lembram famílias, cidades fictícias e municípios cearenses. Pelo nome científico, pela ordem, se chamam: Bauhinae cheilantha, Astronium fraxinifolium, Pterodon emarginatus e Bagassa guianensis, nomes de Árvores brasileiras. Na próxima quarta-feira (18), às 19h30min, na sede do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam), o Movimento Pro-Árvore do Ceará  promoverá o lançamento do novo livro do professor Paulo Ernani Ramalho Carvalho, que  brindará aos presentes com uma palestra sobre o tema do livro.

 

O professor Paulo Ernani Ramalho Carvalho, cearense de Russas, pesquisador da Embrapa, já listou em seus trabalhos de pesquisa 280 espécies, das quais 60 delas estão na quarta edição de uma série de livros sobre as Espécies Arbóreas. Paulo Ernani relembra, no texto de introdução, que “desde a época do descobrimento do Brasil, os recursos florestais  brasileiros, incluindo-se espécies arbóreas nativas, vêm sendo intensamente explorados, gerando riquezas, mas descaracterizando e degradando as florestas naturais. O pau-brasil (Caesalpinia echinata), que teria dado origem ao nome do País, foi o primeiro produto a ser extraído das terras recém-descobertas. Infelizmente, desde então, raras iniciativas têm sido direcionadas à reposição florestal, com espécies  
nativas”.

 

Segundo o professor, de 1966 a 1986, época dos incentivos fiscais para plantios florestais por motivos econômicos, os plantios foram feitos com espécies arbóreas introduzidas, principalmente as do gênero Pinus e Eucalyptus. Enquanto isso, as espécies arbóreas nativas continuaram sendo exploradas de forma indiscriminada e sem nenhuma preocupação com o manejo florestal.

 

17.01.2012

 

Assessoria de Comunicação do Conpam

Elizabeth Rebouças – 85 3101.1235 | 85 8848.2022

elisabeth.reboucas@conpam.ce.gov.br