Hospital César Cals realiza 500 cirurgias bariátricas

30 de janeiro de 2012

Com 10 anos de funcionamento, o serviço de cirurgia bariátrica e metabólica do Hospital Geral Dr. César Cals, unidade da Secretaria da Saúde do Estado, chega a marca de 500 procedimentos. A cada semana são operados dois pacientes, que passam a ter mais saúde e qualidade de vida com a cirurgia de redução de estômago. De acordo com o médico Francisco Ney Lemos, muita coisa mudou nos 10 anos do serviço, incluindo o tempo de duração da cirurgia que antes era até cinco horas e hoje pode ser realizada em duas horas, resultado de investimentos nas inovações tecnológicas.

 

Para ter acesso ao serviço, o paciente deve ir primeiramente ao posto de saúde mais próximo de sua casa, ter a primeira consulta com o clínico geral e, depois das avaliações e exames, ser encaminhado ao ambulatório do Hospital César Cals. Ao entrar no programa, ele passará por várias etapas de tratamento até que esteja pronto para o procedimento cirúrgico. São consultas com pneumologistas, cirurgião bariátrico, psicólogos, cardiologistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, além das conversas e orientações com assistentes sociais e realização de exames específicos. A equipe multidisciplinar é formada por 20 profissionais. “Como hospital terciário, o César Cals se propõe a fortalecer o compromisso em oferecer um serviço especializado, investindo sempre na busca pela qualidade de vida dos nossos pacientes”, destaca o diretor geral, Valdir Ferreira de Menezes. Segundo ele, nos últimos três anos,o número de cirurgias dobrou, passando para oito cirurgias todo mês.

 

Inovações

 

Durante os 10 anos de cirurgias bariátricas, muitas mudanças e avanços nortearam o Serviço de Cirurgias Bariátricas do HGCC. Tudo isso tornou o serviço um dos mais conceituados do Brasil. Para se ter uma ideia da inovações tecnológicas e modernização, todas as cirurgias são feitas por videolaparoscopia, procedimento minimamente invasivo e de rápida recuperação. Com isso, acarreta menos agressão ao organismo, com menos inflamações, redução da permanência hospitalar, retorno mais rápido ao trabalho e afazeres do cotidiano. Para os “super-obesos”, aqueles com Índice de Massa Corpórea acima de 50, o hospital garante a colocação do balão intragástrico, mecanismo que auxilia na perda de peso. Com isso, o paciente é preparado de maneira mais segura, evitando complicações durante a cirurgia.

 

30.01.2012

Assessoria de Comunicação do HGCC

Selma Oliveira / Wescley Jorge (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5357 – 8828.7463)