Ceará realiza primeiro transplante pulmonar bilateral do N/NE

8 de Fevereiro de 2012

O paciente submetido na última terça-feira (7) ao primeiro transplante pulmonar bilateral do Ceará passa bem. Já foram retirados na manhã desta quarta-feira (8) os tubos que mantinham o paciente em respiração artificial. O sucesso da cirurgia e a boa recuperação dos primeiros quatro transplantados de pulmão no Estado, em procedimentos realizados em 2011, reforçam a condição do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes como referência em transplante pulmonar, serviço oferecido, além do Ceará, apenas nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. O hospital é da rede pública estadual.

 

Pintor automotivo e ex-fumante,  Antonio Gomes de Oliveira, de 53 anos, há oito meses, até  terça-feira (7), dependia de aparelho de oxigênio para respirar, por conta de um enfisema pulmonar que o acometia a quatro anos. Ele morava no município de Apodi, na divisa do Rio Grande do Norte com o Ceará, antes de se mudar para Fortaleza para entrar na fila de transplantes de pulmão do Hospital de Messejana.

 

Qualidade

 

O cirurgião torácico Antero Gomes Neto, coordenador do Programa de Transplante de Pulmão, considera o primeiro transplante bilateral, quando o paciente recebe dois pulmões em um só procedimento, “um passo adiante que o Hospital de Messejana dá”. Segundo ele, esse tipo de transplante permite maior sobrevida ao paciente. A cirurgia de transplante pulmonar bilateral é mais demorada e envolve maiores riscos. Por isso é indicada para pacientes de até 55 anos e em casos de doenças específicas que afetam os dois pulmões.

 

O Hospital de Messejana é uma unidade terciária especializada no diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e pulmonares, dispondo de todos os procedimentos de alta complexidade nestas áreas e destacando-se no transplante cardíaco e pulmonar. O hospital, que pertence a Secretaria da Saúde do Estado, atende pacientes dos 184 municípios do Ceará e das regiões Norte e Nordeste do país.

 

Quantidade

 

O Ceará encerrou 2011 com 1.295 transplantes realizados de órgãos e tecidos. São 419 transplantes a mais do que o total de 875 procedimentos feitos durante todo o ano de 2010. Na retrospectiva dos números, já são cinco anos de recordes. Enquanto no ano de 2006 a quantidade de transplantes foi de 446, em 2007 subiu para 654, em 2008 um novo salto com 739 transplantes realizados, e em 2009 chegou a 767.

 

Com esses números crescentes, entre 2007 e 2011, o Ceará fez mais transplantes do que o número registrado pela Central de Transplantes desde a sua implantação, em 1998, até o ano de 2006. Nos últimos cinco anos foram realizados no Estado 4.319 transplantes, enquanto que nos nove anos anteriores o total de procedimentos chegou a 3.077. A meta da Secretaria da Saúde do Estado para este ano de 2012 é superar 1.800 transplantes.

 

08.02.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220)