HGF realiza o primeiro transplante de pâncreas isolado do Norte e Nordeste

27 de Março de 2012

O Hospital Geral de Fortaleza (HGF) realizou no dia 22 de março de 2012 o primeiro transplante de pâncreas isolado do Norte e Nordeste. Antônio Ortiz de Carvalho, de 44 anos, sofria de diabetes tipo 1 desde os 16 anos de idade. Para a doença de difícil controle, um novo pâncreas foi indicado como parte do tratamento. A cirurgia durou cerca de duas horas e meia.  Atualmente, no Brasil, além do Ceará, o transplante de pâncreas isolado só é realizado em São Paulo e no Paraná. Foram realizados 34 procedimentos em 2008, 39 em 2009, 47 em 2010 e 52 em 2011.

 

O transplante de pâncreas isolado é indicado quando o paciente diabético apresenta uma doença de difícil controle clínico, mas tem uma boa função dos rins. Já o transplante duplo(pâncreas e rim) é o mais comum e já é realizado no HGF desde dezembro de 2009. Este último é indicado para aqueles pacientes diabéticos do tipo 1 que perderam a função dos rins em decorrência do diabetes, e que estão em hemodiálise ou diálise peritoneal. Esses pacientes já possuem a indicação de transplante renal e, quando recebem em conjunto o pâncreas, se beneficiam pois o pâncreas proporciona o controle da glicemia, e previne que o rim transplantado sofra com os efeitos do diabetes.

 

O HGF realizou até o dia 22 de março de 2012, 1344 transplantes renais, 57 de fígado e 17 duplos (simultâneo de rim e pâncreas). Só este ano, foram realizados 22 transplantes de rim, dois de fígado, um duplo de rim e pâncreas e dois isolados de pâncreas, sendo esse último realizado no último domingo 25 de março. O HGF foi credenciado pelo Ministério da Saúde a realizar transplante de pâncreas isolado no dia 9 de fevereiro de 2012, através da portaria 105, publicada no Diário Oficial.

 

Para o diretor geral do HGF, Zózimo Medeiros, o credenciamento em mais esse tipo de transplante torna o serviço que já é referência no Brasil ainda mais completo. “Agora estamos habilitados a fazer todos os tipos de transplante de pâncreas. Nosso paciente conta agora com mais opções.” Zózimo destaca ainda a importância desse novo credenciamento na formação de médicos especialistas. “Estamos formando profissionais na área de transplante com um programa de residência inciado este ano. Contamos com uma das melhores equipes de transplantes do país e isso certamente faz toda a diferença para o paciente que nos procura e para o médico que busca uma especialização com excelência”- finaliza.

 

De acordo com informações da Central de Transplantes do Estado(26 de março de 2012), 228 pacientes estão na fila de espera por um rim. Outros 138 aguardam um fígado, seis esperam por um transplante duplo(rim e pâncreas) e não há fila de espera para o transplante de pâncreas isolado.

 

Integram a equipe especializada do HGF, habilitada para realizar o transplante de pâncreas isolado:
O responsável técnico Ronaldo de Matos Esmeraldo, cirurgião e urologista, CRM 4102;

E os membros:
Maria Cecília Martins Costa, endocrinologista, CRM 9073;
Maria Neide Antero Pinheiro Buarque, endocrinologista, CRM 9005;
Maria Luiza de Mattos Brito, nefrologista, CRM 4182;
Fernando José Vilar Moreira Paes, nefrologista, CRM 6410;
Cláudia Maria Costa de Oliveira, nefrologista, CRM 4172;
Romero de Matos Esmeraldo, cirurgião, CRM 1178;
Ivelise Regina Canito Brasil, cirurgiã, CRM 6205;
Vanessa Gurgel Adeodato, nefrologista, CRM 10097;
Cláudia Regina Fernandes, anestesista, CRM 6475.

 

27.03.2012

Assessoria de Comunicação HGF

Gilda Barroso (gildabarroso@gmail.com / 85 3101.7086)

Twitter: @Hospital_HGF