Ipece analisa a expectativa da safra agrícola para 2012

11 de Abril de 2012

O Instituto de Pesquisa e Estratégica Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Estado do Ceará, acaba de lançar dois novos trabalhos (Enfoque Econômico de números 29 e 30). O primeiro, que tem como tema “Estimativas do 1º Trimestre para o Desempenho do Agronegócio Cearense em 2012”, traça uma análise sobre a expectativa para produção de grãos e outros produtos para este ano. De acordo com o estudo, o comportamento das chuvas deve influenciar diferentemente a produção de grãos e frutas no Estado. Mesmo com as poucas chuvas registradas até o momento, a perspectiva é a de que a safra agrícola (grãos) seja 12,6% maior que o resultado recorde de 2011, como estima o IBGE.

 

A produção de frutas, contabilizando o que é mensurado em toneladas, apresenta uma perspectiva de aumento na produção de 9,9%, com ênfase para a castanha de caju, cujo crescimento esperado na produção é de 51,1%. Além disso, espera-se, também, que a produção de melão cresça em torno de 42,0%, bem como a de melancia, com incremento esperado de 13,0%. Todos esses aumentos são explicados principalmente pela incorporação de novas áreas produtivas. Algumas culturas, entretanto, apresentaram redução na estimativa de produção, como é o caso da uva, com queda de 7,2% em relação a 2011. Em relação aos frutos medidos em mil unidades, o coco da baía apresenta crescimento de 3,2% e o abacaxi , com 2,0%.

 

O segundo trabalho (Enfoque Econômico nº 30) aborda as exportações de cachaça do Ceará, que no ano passado cresceram 8,7% em relação a 2010, totalizando US$ 1,17 milhão. Todavia, apesar dessa expansão nas vendas externas, ainda não foi possível superar as vendas ocorridas no ano de 2007, quando foi alcançado um valor recorde para as exportações cearenses de cachaça de US$ 1,21 milhão. Vale destacar que as vendas de cachaça participaram com 0,08% da pauta de exportações cearenses em 2011, inferior a registrada em igual período de 2010, quando as vendas desse produto representaram com 0,09% do total exportado pelo Estado.

 

A participação das exportações cearenses de cachaça no total das vendas do país foi de 6,8% do total, revelando certa estabilidade nesse indicador desde 2008. O estado de São Paulo respondeu por quase a metade do valor total exportado desse produto pelo país, ou seja, um total de US$ 8,08 milhões, perfazendo uma participação de 46,72% em 2011. Em seguida apareceu Pernambuco (14,29%), Rio de Janeiro (11,05%) e Minas Gerais (7,76%).

 

Já a participação conjunta dos cinco principais estados exportadores de cachaça totalizou 86,62 por cento em 2011, situando-a acima da observada em 2010 (84,37%). Uma das razões para esse aumento de percentual foi o forte crescimento nas vendas de Pernambuco em 47,53% frente ao ano de 2010, seguido por São Paulo (10,51%), Ceará (8,69%) e Rio de Janeiro (7,66%). O estado de Minas Gerais registrou forte queda nas vendas desse produto (-17,23%) na mesma comparação.

 

12.04.2012 

Assessoria de Imprensa do Ipece

Pádua Martins (padua.martins@ipece.ce.gov.br / 85 3101.3508)