Seminário capacita mais de 200 profissionais em nutrição de idosos

19 de Abril de 2012

Depois do Curso de Fundamentos em Gerontologia, realizado em fevereiro deste ano, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) fortalece as políticas de atenção ao idoso com a realização do Seminário de Nutrição e Disfagia em Idosos, que será realizado nesta sexta-feira (20) e sábado (21), das 8h30min às 17 horas, no Mareiro Hotel, Avenida Beira Mar, 2380, Meireles. Participarão do seminário 230 médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos e nutricionistas que atuam no Programa Saúde da Família (PSF) e nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) dos 184 municípios cearenses. Os profissionais serão atualizados na triagem de risco nutricional e disfagia, avaliação, tratamento e orientação aos idosos.

 

A disfagia é uma alteração na deglutição, ou seja, no ato de engolir alimentos ou saliva. Pode ocorrer em diferentes fases da vida, especialmente em idosos, podendo trazer sérias consequências à saúde. Na disfagia ocorre um desvio do alimento ou da saliva, obstruindo parcialmente ou completamente as vias respiratórias. Esse desvio pode ser facilitado também pelo envelhecimento natural das estruturas envolvidas na deglutição (lábios, língua, bochechas, etc.). Envelhecer não é adoecer. É fundamental oferecer orientações aos idosos, às suas famílias e à sociedade como um todo sobre os cuidados que esta fase da vida requer. Todos precisam aprender a envelhecer com saúde, com qualidade de vida. Buscando essa qualidade, a alimentação é um ponto a ser acompanhado de perto.

 

Cuidados durante a alimentação:

– Mantenha a postura ereta e confortável, nunca coma deitado, salvo em caso de orientações específicas;

– Coma sem pressa;

– Mantenha a prótese dentária bem adaptada;

– Caso necessário, coma alimentos mais pastosos e tome líquidos mais grossos, pois o engasgo com alimento líquido é o mais frequente;

– A atenção e o auxílio às pessoas com dificuldades de engolir são muito importantes para diminuir as complicações provocadas pela disfagia;

 

O Ceará segue a tendência nacional de vida mais longa. Segundo o IBGE, o crescimento absoluto da população do Brasil do ano 1991 a 2010 no Brasil ocorreu principalmente devido o aumento da população adulta, com destaque para o crescimento da participação da população idosa. Em 1991 a participação era de 4,8% no total da população, em 2010 passou para 7,4%. No Ceará, a população de idosos aumentou nesse período de 10 anos em 61%. Dados do censo 2010 revelam que há no Estado 909 mil pessoas com mais de 60 anos de idade vivendo no Ceará. Até 2025, o Brasil será o sexto país do mundo com o maior número de pessoas idosas, segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

No âmbito do SUS, a Política de Atenção ao Idoso busca garantir atenção integral à Saúde da população idosa, enfatizando o envelhecimento saudável e ativo e fortalecendo o protagonismo das pessoas idosas. São diretrizes para a atenção integral à saúde do idoso a promoção do envelhecimento ativo e saudável; a manutenção e reabilitação da capacidade funcional, e o apoio ao desenvolvimento de cuidados informais. A proposta de envelhecimento ativo e saudável busca oferecer qualidade de vida por meio da alimentação adequada e balanceada, prática regular de exercícios físicos, convivência social estimulante, busca de atividades prazerosas e/ou que reduzam o estresse, diminuição dos danos decorrentes do consumo de álcool e tabaco e diminuição significativa da automedicação.

 

19.04.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira / Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 – 5221)