Theatro José de Alencar: 45 atividades acontecem até domingo (24)

19 de junho de 2012

O I Festival Internacional de Artes Cênicas – Zona de Transição, que iniciou no último dia 15, trouxe uma multidão no seu primeiro fim de semana para o Theatro José de Alencar.  A programação, que segue até o dia 24 de junho, recebe ainda diversas produções de artes cênicas da Dinamarca, Guatemala, Argentina, Brasil, Espanha-Guiné Bissau e Paraguai.

 

Nesta terça-feira (19), os espetáculos Orô de Otelo (Dinamarca/Brasil) e Oxlajuj B’Aqtum (Guatemala) farão uma demonstração técnica dedicada a montagem dos espetáculos e como os atores preparam-se para encenar os ritos apresentados na hora do espetáculo. Ainda tem o grupo de teatro de rua Circo Lúdico Experimental – Cia. Cle (Ceará) apresenta Um tiquinho de nada, às 17 horas, na Praça do Ferreira. O grupo cearense Mimo ganha o palco principal com a apresentação de Sakura – O jardim das cerejeiras, às 18 horas e 21 horas. No intervalo, os paraibanos do Ser Tão Teatro apresentam Flor da macambira, às 19 horas no pátio, festejadíssimo no Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga. O grupo Ser Tão também se apresenta na quarta (dia 20) no mesmo local.

 

Já na quarta-feira (20), o teatro minimalista em uma produção entre países Espanha e Guiné Bissau são representados no evento com El niño que soñaba. A companhia La mar de marionetes faz duas apresentações gratuitas, às 9 horas e 15 horas, no palco principal. Já o repertório do paranaense Ricardo Marinelli acontece em dois dias em performances na rua. Eu tenho autorização da polícia para ficar pelado aqui, acontece na quarta, às 17 horas, na calçada do TJA e Não alimente os animais, na quinta, às 16 horas, no mesmo espaço. Ambas trabalham a linguagem contemporânea das artes cênicas e perguntam-se sobre a cidade.

 

É da quarta-feira também a estreia do grupo Sotz’il (Guatemala)  que narra a noção cíclica da vida da cultura maia. O espetáculo Oxlajuj B’aqtun constitui um rito espiritual e artístico que dialoga profundamente com os ancestrais daquele povo indígena e demonstrado no Zona de Transição, de quarta, quinta, sexta e sábado (20 a 23 de junho) nas Praça José de Alencar, Praça do Ferreira, Praça Luiza Távora e no jardim do Theatro José de Alencar.

 

Espetculo3Na quinta-feira e sexta-feira (21 e 22 de junho) é a vez do de dois espetáculos montados pelo Grupo Cena, de Brasília: Heróis, O Caminho do Vento, do francês  Gerald Sibleyras e Dinossauros, do argentino Santiago Serrano. O palco principal do Theatro José de Alencar  oferece ao público a oportunidade de um conhecimento aprofundado do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Grupo Cena nos últimos anos, um dos mais pungentes do País que trabalha com textos nunca antes encenados no Brasil e é dirigido por Guilherme Reis. Heróis, O Caminho do Vento é uma montagem recente do grupo,  e narra a velhice. Dinossauros, montagem inaugural do grupo, traz a solidão dos cidadãos das grandes cidades.

 

Outra importante agenda do fim de semana é o retorno do Hara Danza de Teatro, que encena Asuncion Anõs 30, no palco principal, às 23 horas (sexta e sábado) e domingo, às 21 horas. O engajado grupo paraguaio, que já esteve duas outras vezes no TJA, é famoso por performances de rock ao vivo nos espetáculos e desta vez traz o clima de época em Asunción Años 30,um espetáculo teatral que aborda anedotas históricas da vida paraguaia durante a década de 30 apresenta o cotidiano e popular “El Bar”.

 

Zona de Transição – Durante a semana de aniversário de 102 anos, o Theatro José de Alencar – TJA, em Fortaleza, estado do Ceará, Brasil, abre o Zona de Transição – I Festival Internacional de Artes Cênicas do Ceará. De 15 a 24 de junho, o centenário palco recebe mais de 40 produções da Argentina, Brasil, Colômbia, Dinamarca, Espanha-Guiné Bissau, Guatemala, Itália e Paraguai.  E realiza seminário com diretores, programadores e produtores de  festivais artísticos da Argentina, Brasil, Costa Rica, Colômbia, Cuba, Panamá e Uruguai.

 

O I Festival Internacional de Artes Cênicas do Ceará concentra suas ações nos vários espaços do próprio TJA e migra pelo Centro, a área de Fortaleza que tem o maior número de equipamentos culturais da cidade.  Assim, integram a programação espetáculos, intervenções  e performances que despontam em diversos palcos: os múltiplos espaços fechados e abertos do TJA, praças,  ruas  e espaços não-convencionais, como a Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC).  O Zona de Transição diz do desejo e necessidade de convidar a cidade, de convocar a cidade, de falar com muitas das cidades que Fortaleza abriga.

 

Terça, 19

 

Seminário Cidades e festivais de artes
14h às 17h foyer grátis 120 lugares

 

Zona escola – Demonstração técnica Augusto Omolu, Orô de Otelo
Brasil/Dinamarca
17h sala de dança   grátis    50 min   60 lugares

 

Um tiquinho de nada
Circo Lúdico Experimental – Cia. Cle, Ceará
17h Praça do Ferreira  grátis

 

Sakura – O jardim das cerejeiras
Teatro Mimo, Ceará
18h e 21h palco principal  R$ 5 e 10   16 anos   50min   100 lugares

 

Flor de Macambira
Ser Tão Teatro, Paraíba
19h pátio   grátis   60min  300 lugares

 

Zona Escola – Demonstração técnica do grupo Sotzil
Guatemala
20h sala de teatro  grátis   50min   50 lugares

 

Quarta, 20

 

El niño que soñaba
La mar de marionetas, Espanha-Guiné Bissau
9h e 15h palco principal  R$ 10 e 20   Livre   50min   100 lugares/sessão

 

Seminário Cidades e festivais de artes

14h às 17h foyer grátis 120 lugares

 

Eu tenho autorização da polícia para ficar pelado aqui
Ricardo Marinelli, Paraná
17h   TJA calçada   60min

 

Zona Escola – Desmontagem da obra Sakura – O jardim das cerejeira
Teatro Mimo, Ceará
18h sala de teatro  grátis 50min 60 lugares

 

Flor de Macambira
Ser Tão Teatro, Paraíba
19h pátio  grátis    60min   300 lugares

 

Oxlajuj B’Aqtum
Sotzil, Guatemala

20h jardim  grátis    70min   300 lugares

 

Zona Escola Abertura do processo de criação de Leonce&Lena, Teatro Máquina, Ceará
21h30 palco principal  grátis   40min  80 lugares

 

Quinta, 21

 

Seminário Cidades e festivais de artes
14h às 17h foyer grátis 120 lugares

 

Não alimente os animais
Ricardo Marinelli, Paraná
16h  calçada   40 min

 

Oxlajuj B’aqtum
Sotzil, Guatemala
17h30 Praça do Ferreira   grátis  70min

 

Zona Escola – Roda de Conversa: teatro de rua, teatro na rua
Com os grupos Garajal, Arte Jucá, Nóis de Teatro (Ceará) e Ser Tão Teatro (Paraíba)
18h foyer  grátis   60 min   120 lugares

 

Dinossauros
Grupo Cena, Brasília
19h palco principal   R$ 5 e 10   12 anos   55min   100 lugares    com debate

 

Heróis, ou o caminho do vento
Grupo Cena, Brasília
21h palco principal   R$ 5 e 10   14 anos   70min   100 lugares   com debate

 

Sexta, 22

 

Zona Escola – Roda de Conversa com o diretor Wal Mayans
Hara Teatro Danza, Paraguai
16h foyer   grátis    60min   120 lugares

 

Eu tenho autorização da polícia para ficar pelado aqui
Ricardo Marinelli, Paraná
17h calçada   grátis   50 min

 

O que mata é o costume
Nóis de Teatro, Ceará
17h Praça do Ferreira   grátis   60min

 

Ensaio Aberto: Boca de Siri
Solo de Carri Costa, Cia. Cearense de Molecagem, Ceará
20h sala de teatro   grátis    14 anos     60min    60 lugares

 

Oxlajuj B’Aqtum
Sotzil, Guatemala
18h Praça José de Alencar   grátis   70min

 

Dinossauros
Grupo Cena, Brasília
19h palco principal   R$ 5 e 10    12 anos    55min    100 lugares

 

Heróis, ou o caminho do vento
Grupo Cena, Brasília
21h palco principal   R$ 5 e 10    14 anos    70min    100 lugares

 

Asunción Años 30
Hara Teatro Danza, Paraguai
23h TJA palco principal  R$ 5 e 10   16 anos   90min   200 lugares

 

Sábado, 23

 

Não alimente os animais
Ricardo Marinelli, Paraná
16h calçada 40 min

 

Mostra Inéditos&Dispersos
11 obras curtas (até 15 min)
16h Praça José de Alencar   grátis

 

ESTRÉIA A farsa do cuviteiro
Grupo Arte Jucá, Ceará
17h calçada  grátis   60 min

 

Escola Nacional de Circo
Rio de Janeiro
18h   jardim e Praça José de Alencar     grátis    50min

 

Oxlajuj B’aqtum
Sotzil, Guatemala
18h Praça Luiza Távora/Cearte   grátis    70min

 

Requiem para um homem triste
Teatro do Individuo, São Paulo
18h sala de canto     R$ 5 e 10    16 anos     50 min    40 lugares

 

Bicha Oca
Teatro do indivíduo, Bahia/São Paulo
23h Teatro Morro do Ouro
R$ 5 e 10   50min   16 anos   90 lugares

 

Tercer Cuerpo
Timbre 4, Argentina
21h palco principal    R$ 5 e 10    60min    12 anos    100 lugares

 

A lição
Maria Vitória e Ricardo Guilherme, Grupo Pesquisa, Ceará
Projeto contemplado Edital das Artes SecultFor 2010
21h e meia-noite sala de teatro    R$ 5 e 10   16 anos    60min   60 lugares
com debate pós primeira sessão

 

Asunción Años 30
Hara Teatro Danza, Paraguai
23h palco principal   R$ 5 e 10    16 anos    90min    200 lugares

 

Domingo, 24

 

Mostra Inéditos & Dispersos
11 obras curtas (até 15 min)
das 15h às 21h   sala de teatro e Praça José de Alencar    grátis    

 

Varre-Varre
Teatro Mimo, Ceará
16h pátio  grátis   Livre    45min    300 lugares

 

Zona Escola – Roda de Conversa com os intérpretes-criadores Ricardo Marinelli (PR),
Rodolfo Lima(SP) e Silvero Pereira (CE)
16h foyer  grátis   60min   120 lugares

 

Escola Nacional de Circo
Rio de Janeiro
17h jardim e Praça José de Alencar  grátis   livre   50min

 

Requiem para um homem triste
Teatro do Individuo, São Paulo
18h sala de canto   R$ 5 e 10    16 anos    50min   40 lugares

 

Tercer Cuerpo
Timbre 4, Argentina
19h palco principal   R$ 5 e 10    12 anos    60min    100 lugares   com debate

 

Bicha Oca
Teatro do Individuo, Bahia/São Paulo
20h Teatro Morro do Ouro  R$ 5 e 10   18 anos    50min   90 lugares

 

Asunción Años 30
Hara Teatro Danza, Paraguai
21h palco principal    R$ 5 e 10    16 anos    90min   200 lugares

 

19.06.2012

Atendimento à Imprensa

Email: festivalzonadetransicao@gmail.com
Twitter: @ztransicao)
Facebook: facebook.com/zonadetransicao

 

Jornalistas responsáveis:
Bianca Felippsen – (85) 9688-8008 / 8878-8464 @bifelippsen
Júlia Lopes – (85) 8848.3227 / 9678.0356 @julialopesss
Kiko Bloc Boris – (85) 8892 1195
Giúllian Rodrigues – +5585 99125000 / @giullianvr