Seminário fortalece ações da política de saúde na escola

20 de junho de 2012

As secretarias da Saúde e da Educação do Estado realizam nesta quinta-feira (21), o Seminário Integrado da Política de Saúde na Escola, com o objetivo de fortalecer os municípios cearenses nas ações do Programa Saúde na Escola (PSE). Com a integração e a articulação permanente entre educação e saúde, o PSE contribui para a promoção, prevenção e atenção à saúde das crianças, adolescentes e jovens. O seminário acontece no Auditório Ciro Gomes, na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE), Avenida Antônio Justa, 3161 – Meireles, a partir das 08 horas, com a participação dos 161 municípios cearenses integrantes do PSE e de representantes dos ministérios da Saúde e da Educação, que avaliarão o panorama do programa no Estado e prestarão esclarecimentos sobre a condução da política de saúde na escola.

 

Com uma atenção especial à prevenção das doenças crônicas, o Programa Saúde na Escola foi lançado em 2008 para contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública da educação básica por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. Em parceria, os ministérios da Saúde e da Educação integram as redes de educação e o Sistema Único de Saúde. Na prática, o trabalho integrado gera ações de promoção para a saúde, estimulando a alimentação saudável, bem como práticas corporais e atividade física. A prevenção do tabagismo e do uso de álcool, bem como a prevenção de violência, também fazem parte das ações que o programa incorpora ao cotidiano das escolas municipais que dele participam.

 

No Ceará, 298 escolas estaduais e 4.431 municipais participam do PSE nos 161 municípios que recebem o incentivo federal para desenvolver um conjunto de ações para reforçar cuidado, prevenção e promoção à saúde dos alunos brasileiros, incluindo ações concretas para o enfrentamento de doenças crônicas não transmissíveis.  A partir da ideia de prevenir as doenças crônicas não transmissíveis por todo o ciclo da vida, as ações iniciam-se durante a gravidez, passando pelo estímulo ao aleitamento materno, pela proteção à infância e à adolescência e continuam na fase adulta.

 

Quando aderem ao PSE, escolas públicas municipais passam a contar com o acompanhamento constante de uma equipe do Programa Saúde da Família para atender a um grupo de pelo menos 500 alunos. As equipes são compostas, no mínimo, por um médico de família, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde. Uma vez assinado o termo de compromisso com o PSE, o município assume um conjunto de ações obrigatórias. Entre outras tarefas, deve fazer pelo menos uma vez ao ano a avaliação antropométrica dos alunos, que inclui pesagem, para calcular o índice de massa corporal (IMC), e a medição, de forma a avaliar a curva de crescimento das crianças. Com isso é possível avaliar se o desenvolvimento das crianças e jovens está normal e se há casos de sobrepeso. Nas escolas, as equipes do Saúde da Família também aferem a pressão arterial, identificando casos de hipertensão, e fazem testes para encontrar sinais e sintomas de diabetes.

 

Também é analisado o baixo peso e a desnutrição, levando em conta problemas relacionados à pobreza. Nesses casos, podem ser feitas visitas domiciliares às famílias dos alunos, de modo a conhecer melhor sua realidade e encontrar soluções junto à equipe interdisciplinar. Dessa maneira, é possível verificar ainda se as vacinas estão em dia e se há outras demandas em se tratando de saúde ou outros tipos de serviço.

 

Plano de Ações Estratégicas para Enfrentamento das DCNT – Saúde na Escola

– Promoção da saúde
– Prevenção de doenças e agravos
– Prevenção ao uso do álcool, tabaco e outras drogas
– Educação para a saúde sexual e reprodutiva
– Promoção da atividade física
– Promoção da alimentação saudável.
– Avaliação clínica e psicossocial,
– Avaliação nutricional
– Avaliação da saúde bucal
– Projeto de Formação Permanente a partir de três eixos: gestão da formação, operacionalização e organização dos diferentes formatos de formação.
– Encarte Saúde no Censo Escolar (INEP/MEC)
– Pesquisa Nacional Saúde do Escolar (PeNSE/MS)
– Sistema de Monitoramento do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (PN DST/Aids e Unesco)

– Pesquisa Nacional do Perfil Nutricional e Consumo Alimentar dos Escolares (FNDE).

 

20.06.2012

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 – 5221)