UPAs 24h em Fortaleza: 75.254 atendimentos realizados

9 de julho de 2012

A mais nova das quatro Unidades de Pronto Atendimento construídas pelo Governo do Estado, com apoio do Ministério da Saúde, a UPA 24 horas do Canindezinho, em apenas nove dias de funcionamento, realizou 1.701 atendimentos. Nas quatro UPAs da capital o total de atendimentos já chega a 75.254. Além do Canindezinho, há unidades na Praia do Futuro, com o telefone (32655672 ), Coaçu (34740535 ) e Autran Nunes (32906724).

 

Nas UPAs 24 horas, que realizam assistência em casos de urgência e emergência, é adotada a classificação de risco. A classificação de risco determina a prioridade de atendimento. O atendimento de emergência é realizado imediatamente e o paciente é identificado pela pulseira vermelha. A pulseira laranja identifica caso muito urgente e o paciente recebe atendimento em até 10 minutos. Em caso de urgência, o paciente é identificado pela pulseira amarela e é atendido em até 60 minutos. A pulseira verde é para caso pouco urgente e o paciente recebe pulseira verde. Pulseira azul, para caso não urgente, identifica paciente que será atendido em até 240 minutos.

 

Equipamentos do nível médio de atenção à saúde, as UPAs 24 horas são estruturas de complexidade intermediária entre as unidades básicas de saúde e as portas de urgência hospitalares. As UPAs funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, e podem resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame. As UPAs inovam ao oferecer estrutura simplificada – com Raio X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Quando o paciente chega às unidades, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas. O objetivo é diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais, evitando que casos que possam ser resolvidos nas UPAs, ou unidades básicas de saúde, sejam encaminhados para as unidades hospitalares.

 

09.07.2012

 

Assessoria de Imprensa da Sesa

Selma Oliveira – 85 3101.5220