Pesca da Lagosta do Ceará busca Certificação Ambiental Internacional

24 de julho de 2012

O Ceará é responsável por dois terços da lagosta pescada no Brasil e pode ampliar ainda mais esses números. Para que isto aconteça é preciso agregar valor ao produto. Preocupado com a situação e aproveitando o marco de 2014, em que acontecerá o evento Copa do Mundo, a Secretaria da Pesca e Aquicultura, com apoio do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (Conpam), do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), e do Instituto de Ciências do Mar – Labomar da UFC, está trabalhando a Certificação Ambiental Internacional da Pesca da Lagosta no Ceará, que é fornecida pelo MSC – Marine Stewardship Council.

 

Para isso, nesta quarta-feira (25), às 9 horas, acontecerá uma reunião com a presença do Coordenador do projeto na United Nations Environment Programme (UNEP) ou Programa das Nações Unidas para Meio Ambiente (PNUMA), o britânico James Lomax e o consultor argentino Ernesto Goldstein, no Labomar, como etapa do processo de certificação ambiental da pesca da Lagosta, em que serão abordados temas como o custo-benefício da certificação, agregação de valor à lagosta pescada no Ceará, oportunidades que surgirão a partir da iniciativa, pioneirismo do estado do Ceará, ampliação das exportações cearense, mercado consumidor interno, dentre outros assuntos.

 

Segundo o secretário executivo do Conpam, Iraguassu Texeira Filho, esse encontro serve para que a SPA faça seus questionamentos sobre o processo de certificação, exponha as dificuldades encontradas, aponte as fragilidades já identificadas, aproveitem a presença dos consultores para avançarem rapidamente na conquista da eco certificação.

 

Engajado nessa luta e sabendo que o evento futebolístico mundial é potencializador para tais iniciativas, o Conpam, a SDA, a SPA e a Secopa realizarão mais uma reunião do núcleo Copa Orgânica e Sustentável, e aproveitarão para melhor conhecer e já acompanhar todo o processo de certificação, pois um dos objetivos é justamente inserir no cardápio oficial da Copa em Fortaleza, a nossa Lagosta, sendo servida aos atletas, turistas e ao público em geral, com a certeza que foi oriunda de pesca sustentável.

 

A pesca em números:
– 67% da lagosta brasileira é pescada no Ceará
– 50.000 pessoas dependem da pesca da lagosta no Ceará
– 80 milhões de dólares chegam a ser injetados na economia cearense por ano

 

24.07.2012

Coordenadoria de Comunicação do Conpam

Elizabeth Rebouças (85 32102.1335 – 8848.2022)