Desertificação: Ceará vai sediar 2ª Conferência Científica das Nações Unidas

31 de julho de 2012

A capital cearense irá sediar a 2ª Conferência Científica da Convenção das Nações Unidas sobre Combate à Desertificação (UNCCD), em 2013. A escolha foi comunicada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) ao Governo do Estado, após este manifestar interesse e disposição em trazer o evento à Fortaleza. A Conferência já tem data: será realizada de 4 a 8 de fevereiro, no Centro de Eventos do Ceará. De acordo com o ministro Marco Raupp, o Estado foi selecionado como a melhor alternativa para realizar o evento, após uma avaliação das diversas opções de localização.

 

Será criado um comitê organizador estadual formado por órgãos relacionados ao tema, sob a coordenação da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece). Durante a realização da Rio+20, em junho deste ano, no Rio de Janeiro, o secretário René Barreira reuniu-se com o ministro Marco Raupp, com o objetivo de acertar detalhes sobre a vinda do evento para Fortaleza.

 

Estão envolvidos na organização da Conferência ainda MCTI, Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) – Organização Social vinculada ao MCTI, e Nações Unidas. Em breve uma missão da UNCCD e do Governo Federal visitará o Ceará para colher subsídios com vistas à preparação do Acordo de Sede entre e Nações Unidas e Governo Brasileiro.

 

Conferência será financiada pelas Nações Unidas, Governo Federal e Governo do Ceará. O custo total pago pelas Nações Unidas será de cerca de dois milhões de dólares. Já o Governo Federal vai contribuir com 600 mil dólares, a serem cobertos pelo MCTI, Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Integração. O Governo do Ceará irá fornecer o espaço do Centro de Eventos, além de cobrir as despesas de transportes locais, segurança, equipamentos e instalações no local do evento, o que dá uma estimativa inicial de 400 mil reais de financiamento

 

UNCCD

 

O foco temático da 2ª Conferência Científica da Convenção das Nações Unidas sobre Combate à Desertificação será “Avaliação econômica da desertificação, da gestão sustentável da terra e da resiliência de zonas áridas, semiáridas e sub-úmidas secas”.

 

A Conferência será estruturada em torno dos dois temas: “Impactos econômicos e sociais da desertificação, da degradação do solo e da seca” e “Custos e benefícios das políticas e práticas abordando a desertificação, a degradação da terra e a seca”.

 

De acordo com o conselheiro do CGEE, Antônio Rocha Magalhães, o tema a ser tratado na Conferência é de suma importância, visto que as terras secas correspondem a 40% das terras do planeta. “Dos 193 países reconhecidos pela ONU, a desertificação atinge cerca de 100, incluindo o Brasil”.

 

“O Ceará é um grande palco para o debate sobre o assunto, já que tem possui um quadro de desertificação”, comenta Magalhães. Não é a primeira vez que a capital cearense é sede de importantes conferências internacionais relacionadas com o tema. Em 2010, o Estado promoveu a ICID+18 (Segunda Conferência Internacional: Clima, Sustentabilidade e Desenvolvimento em Regiões Semiáridas), que reuniu 2.500 participantes de 80 países.

 

31.07.2012

Assessoria de Imprensa da Secitece

Simplícia Sinibaldi (plicia@a2online.com.br / 85 3101.6466)