Copa 2014: Obras do Castelão chegam a 86% e do VLT 16%

3 de setembro de 2012

As obras de reforma e modernização do Estádio Plácido Aderaldo Castelão, o Castelão, seguem em ritmo acelerado. De acordo com os dados do consórcio construtor, formado pelas empresas Galvão Engenharia e Andrade Mendonça, llibetados nesta segunda-feira (03), as obras estão com mais de 86% executadas.

 

Um dos destaques do projeto da Arena Castelão é a nova coberta. Com tecnologia inovadora, a estrutura terá um revestimento que vai proporcionar uma sensação térmica mais agradável por suportar os índices de insolação do Nordeste brasileiro, não absorvendo calor e permitindo a circulação de ar dentro do estádio. Também terá um isolamento acústico, o que melhora o acompanhamento dos jogos pela torcida e a transmissão dos jogos.

 

Outras mudanças arquitetônicas do Castelão que terão impacto positivo para os torcedores já estão prontas. O campo de jogo foi rebaixado em quatro metros e a distância o anel inferior para o gramado caiu dos antigos 40 metros para apenas 10 metros. Essas alterações vão permitir que todas as pessoas que forem à eventos realizados na Arena Castelão possam ter 100% de visibilidade de todo o campo.

 

Ao todo, estão sendo investidos recursos da ordem de R$ 518,6 milhões que incluem todas as transformações do estádio e entorno com a construção da praça de acesso de 57 mil metros quadrados; estacionamento coberto para 1.900 veículos; edifício Fares Cândido Lopes, sede de dois órgãos estaduais; e a operação do estádio por oito anos, que irá cobrir todas as despesas com água, telefonia, esgoto e pessoal de manutenção e conservação. A obra do Castelão já chegou a gerar mais de 2 mil empregos diretos e conta atualmente com cerca de 1.600 colaboradores. O  Castelão será a maior arena do Norte/Nordeste.

 

Outro destaque das obras do Governo do Estado para a Copa do Mundo de 2014 é veículo leve sobre trilhos (VLT) Parangaba -Mucuripe que está com 16% das obras executadas. O ramal  será uma das grandes obras estruturastes no conceito de mobilidade urbana em Fortaleza para a Copa. Ele vai ser operado com VLTs e fará a conexão ferroviária de12,7 quilômetros entre a Estação da Parangaba e o Porto do Mucuripe. Serão 11,3 km em superfície e 1,4 km em elevado.

 

A obra promoverá a remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando  a utilização do mesmo para transporte de passageiros. O Ramal Parangaba Mucuripe passará por 22 bairros da Capital. A linha férrea Parangaba Mucuripe deverá estar concluída até o início do segundo semestre de 2013 (inclusive final dos testes) e, uma vez concluída, deverá ser utilizada por 100 mil passageiros por dia.

 

Seis Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) fabricados pela Bom Sinal, no Cariri, conduzirão os passageiros. Movidos a diesel, os VLTs têm ar condicionado, sendo mais confortáveis que os antigos trens. Serão oito estações, sendo que as da Parangaba e do Papicu possuem projeto diferenciado, devido à integração com os terminais de ônibus. As demais estações serão localizadas no Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira e Mucuripe.

 

Atualmente as frentes de trabalho do VLT estão localizadas na Parangaba, próximo ao Terminal e à estação da Linha Sul do mesmo nome; na avenida Aguanambi, próximo ao quartel-geral da Polícia Militar; na rua Júlio Siqueira, próximo ao terminal de ônibus do Papicu; avenida Pontes Vieira e avenida Antônio Sales.

 

03.09.2012