Cid Gomes se reúne com diretoria da refinaria coreana GS Caltex

11 de setembro de 2012

O governador Cid Gomes se reuniu nesta segunda-feira (10), em Seul, na Coreia do Sul,  com a diretoria da indústria GS Caltex. A pauta da reunião foi a busca de parceiros comerciais para a instalação da Refinaria Premium II no Ceará. Durante a reunião, Cid Gomes expôs para o presidente da GS Caltex, D. S. Hur; o vice-presidente, W. B. Rha, e o diretor, Taio Kim, o projeto da refinaria cearense. O governador visitará também nesta semana as instalações da GS Caltex.

 

A GS Caltex é uma refinaria de petróleo sul-coreana, fundada em 1967. A companhia mudou seu nome de LG Caltex Oil Corporation para GS Caltex Corporação em 27 de janeiro de 2006. Ela é de propriedade conjunta da Chevron e Grupo GS . É a primeira companhia petrolífera privada na Coreia do Sul. A GS Caltex fornece mais de um terço das necessidades de petróleo daquele país e exporta mais de 50% de seus produtos. A empresa tem instalações de refino de petróleo bruto, com uma capacidade de 775.000 barris por dia.  A GS Caltex produz ainda óleo base e lubrificantes.

 

foto18A sugestão na busca de parceiros para a Refinaria Premium II partiu da própria presidente da Pretrobras, Graça Foster, em reunião com o governador Cid Gomes, no último mês de julho. A instalação da refinaria Premium II é considerada fundamentel para que a Petrobras possa atender o mercado interno de derivados de petróleo. A demanda de combustíveis estimada para 2020 no País é de aproximadamente 3,4 milhões de barris por dia.  A refinaria terá capacidade de processar 300 mil barris de petróleo por dia, abastecendo o mercado com Óleo Diesel 10 ppm (63,5% da produção), Nafta Petroquímica (15,3%), Querosene de Aviação (12,6%), Coque (2,8%) e Óleo Bunker (1,6%).

 

Durante a viagem do Governador, assumirá interinamente o Executivo Estadual, o  presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, desembargador José Arísio Lopes da Costa. Ele é o terceiro na linha de sucessão que tem a prerrogativa de assumir o Governo do Estado. O vice-governador Domingos Filho declinou do direito usando como justificativa o parágrafo 7º do artigo 14 da Constituição Federal que trata da inelegibilidade para parentes caso venha a assumir a função no período  inferior a seis meses da eleição. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Roberto Cláudio, também declinou de assumir o Governo do Estado também devido aos requisitos da inelegibilidade.

 

10.09.2012

 

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil
comunicacao@casacivil.ce.gov.br – 85 3466.4898