Governo retira mais 684 famílias das margens do Rio Maranguapinho

19 de setembro de 2012

Emoção e felicidade são as palavras que retratam o sentimento de 684 famílias que estão sendo retiradas das áreas de risco nas margens do Rio Maranguapinho. Com a mudança para a primeira etapa do residencial Miguel Arraes, no bairro Jardim Jatobá, em Fortaleza, as famílias passam a ter um lugar seguro para viver com toda infraestrutura para um convívio social mais digno. O mutirão de mudanças começou no último dia 12 e segue até o fim deste mês.  A previsão é de que o empreendimento será inaugurado pelo Governo do Estado, através da Secretaria das Cidades, ainda em setembro.

 

Depois de todo o processo de cadastro, consolidação e reuniões para a escolha de blocos e apartamentos, centenas de famílias oriundas dos trechos II e III do Rio Maranguapinho, compartilham a experiência da mudança, de uma nova realidade que deixa lembranças tristes para trás. As comunidades remanejadas de pelo menos seis bairros da Capital, terão a oportunidade de morar num residencial equipado com quadra de esportes, praças, playground, bem como a certeza de que as inundações na frente ou no quintal de suas casas faz parte do passado.

 

O aposentado João Batista de Sousa, 82 anos, foi um dos primeiros a colocar seus móveis no caminhão, e dar adeus à antiga casa que morou por mais de 20 anos. Com sorriso no rosto, o senhor impressiona ao abrir as portas do apartamento que foi organizado por ele e pelo neto João Paulo. “Essa casa é o verdadeiro céu, estou muito contente por ter saído do perigo de se viver ao lado do rio”, destaca. Sorridente o aposentado declara: “Estou morando na Aldeota’”, conclui. O neto do morador diz que a adaptação na casa nova será fácil, pois os antigos vizinhos moram no mesmo bloco. “Todos os vizinhos estão perto da gente, como só mora eu e meu avô, eles são como uma segunda família para nós”, explica o jovem.

 

Para a ambulante Sandra Moreira Alves, casada e mãe de três filhos, sendo um com necessidades especiais, a entrega das chaves no dia da mudança significou a conquista de um troféu. “Eu tenho muito que agradecer a Deus e a toda a equipe dos técnicos sociais da secretaria das Cidades. Graças a eles, hoje eu tenho um teto seguro para morar com meu marido e meus filhos”. A beneficiada que fabrica cofres de gesso para sobreviver não esconde a felicidade de estar chegando ao “paraíso”. “Aqui para mim é o pedacinho do paraíso. Só em pensar que não terei mais que ficar com medo das enchentes ou receosa por conta de doenças causadas pelos mosquitos e ratos, é a realização de um sonho”, destaca a dona de casa, ofegante, mas com sorriso nos lábios, em meio a euforia do primeiro dia de casa nova.

 

Descobertas

 

São 684 famílias, 684 histórias. Experiências distintas que se unem por trechos e margens de um único rio,o  Maranguapinho. A cada dia de mudança no residencial Miguel Arraes, pequenos grupos chegam devagar, com um olhar curioso em começar a desbravar um verdadeiro conjunto habitacional, com todas as condições para iniciar um novo período da vida.

 

Com o apoio dos técnicos sociais da secretaria estadual das Cidades, as famílias recebem no ato da mudança um panfleto com as principais informações sobre o novo bairro. Escolas, creches, postos de saúde, departamento policial, bem como polos de lazer e telefones úteis são alguns dos dados informados no material preparado pela Pasta.

 

18.09.2012

Assessoria de Imprensa da Secretaria das Cidades

Priscila Teixeira / Ana Cristina (comunicacao@cidades.ce.gov.br / 85 3207.5249)

Luan Herculano (estagiário)

Twitter: @scidades