Saneamento rural no Ceará é objeto de estudo internacional

24 de setembro de 2012

A experiência de gestão do saneamento rural no Ceará será objeto de estudo internacional. O interesse é voltado para as experiências do Projeto São José e do Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar), ambos do Governo do Estado. O foco estará principalmente na localidade de Sítio Cruz, em Cascavel.

 

A ideia da pesquisa é avaliar soluções bem sucedidas em levar abastecimento de água e esgotamento sanitário em regiões carentes, assim como identificar as mudanças socioculturais decorrentes, com a finalidade de incentivar a replicação das experiências positivas. Um antropólogo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) integrará o dia-a-dia da comunidade para perceber as mudanças ocorridas quando do atendimento com água. Também serão pesquisados os Sisars de Sobral e Crateús.

 

A pesquisa será coordenada pela Universidade de Newcastle (Newcastle University – UNEW), no Reino Unido. Outras instituições estarão envolvidas, como a Universidade de Coimbra (IMAR-UC, Marine and Environmental Research Centre, Coimbra University), em Portugal; na América Latina, as universidades de Cali (Universidad del Valle – Univalle), na Colômbia, e de Córdoba (Universidad Nacional de Rosario – UNR), na Argentina; e no Brasil, além da UFMG, tomam parte dos trabalhos as universidades Federais do Rio de Janeiro (UFRJ) e de Pernambuco (UFPE).

 

O Projeto da pesquisa será desenvolvido em paralelo em outros estados brasileiros, estudando comunidades rurais ou urbanas em Pernambuco, Minas Gerais e Rio do Janeiro. Na Argentina, serão avaliadas experiências na Província de Santa Fé e, na Colômbia, na cidade de Cali e na região de Caucaia.

 

O Sisar

O Sisar já é referência nacional em gestão do saneamento rural, tendo sido modelo para outras experiências no semiárido brasileiro. O Sistema também já está sendo estudado por um pesquisador da UFMG que observa o “empoderamento” da comunidade ao ser atendida por água potável e ao participar da gestão do sistema.

 

O Sisar começou a ser implantado no Ceará em 1995, inicialmente na Bacia do Acaraú e Coreaú, com sede em Sobral. Hoje existe um para cada uma das oito bacias hidrográficas do Ceará. Eles beneficiam pequenas comunidades e visam garantir, a longo prazo, o desenvolvimento e manutenção dos sistema de água implantados pela Companhia de forma auto-sustentável. Cada um desses Sisars constitui uma Organização Não Governamental sem fins lucrativos, formada pelas associações comunitárias que representam as populações atendidas, com a participação e orientação da Cagece.

 

O Projeto São José foi criado em 1995, com o objetivo de melhorar as condições de vida de famílias carentes da zona rural do Estado, elevar a qualidade de vida e aumentar a geração de emprego e renda da população beneficiada. O São José realiza investimento em infra-estrutura básica, no apoio de pequenos produtores, criação de oportunidades de emprego, redução das desigualdades sociais e melhorados indicadores de saúde e qualidade de vida da população do Ceará. Os principais projetos desenvolvidos através do São José são sistemas comunitários de abastecimento de água, mecanização agrícola, Produtivo, Agrário e Inclusão Social em áreas de assentamento.

 

24.09.2012

 

Assessoria de Imprensa da Cagece

Sabrina Lemos (sabrina.lemos@cagece.com.br – 85 3101.1826/8878.8932)