Quatro mil pessoas saem da situação de desemprego no mês de agosto na RMF

26 de setembro de 2012

As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Fortaleza (PED/RMF) demonstram que, em agosto de 2012, a taxa de desemprego total apresentou redução ao cair de 9,7%, em julho, para 9,4% da População Economicamente Ativa (PEA). No total, o contingente de desempregados foi estimado em 172 mil pessoas, 4 mil a menos que no mês anterior (-2,3%).

 

Em agosto, o nível de ocupação cresceu pelo terceiro mês consecutivo, ampliando 1,5% em relação ao mês anterior – a maior variação mensal do ano, com 25 mil novas ocupações. O total de ocupados da RMF foi estimado em 1.663 mil pessoas. Dos setores de atividade econômica em análise, houve elevação do nível ocupacional principalmente no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (24 mil ou 6,5%) e, em menor medida, nos serviços (10 mil ou 1,3%); enquanto a indústria de transformação (-7 mil ou -2,3%) e construção civil (-4 mil ou -3,0%) eliminaram postos de trabalho.

 

A pesquisa registra ainda que, pelo terceiro mês seguido, houve crescimento do emprego no setor privado (16 mil ou 1,8%). Na iniciativa privada aumentou o emprego com carteira assinada (20 mil ou 3,0%) e reduziu o emprego sem carteira (-4 mil ou -2,0%). Elevou-se o número de ocupações no setor público (3 mil ou 2,1%) e no trabalho autônomo (6 mil ou 1,5%). O emprego doméstico e o agregado demais posições não registraram alterações.

 

Em agosto, o tempo médio de procura por trabalho despendido pelos desempregados foi de 31 semanas, uma a mais que a do mês anterior. Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), De Assis Diniz, “a pequena redução da taxa de desemprego e a expansão da ocupação pelo terceiro mês seguido indicam o início de uma conjuntura mais favorável para o mercado de trabalho da RMF, embora num ritmo menor”.

 

Sobre a PED/RMF

 

A PED/RMF é divulgada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). Atualmente, é realizada nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e no Distrito Federal.

 

26.09.2012

Assessoria de Comunicação do IDT

Ana Clara Braga (anaclara@idt.org.br / 85 3101.5500)