Hemoce orienta gestantes sobre doação de sangue de cordão umbilical

8 de outubro de 2012

Todas as segundas-feiras, a partir de hoje – 08 de outubro-, das 14 horas às 17 horas, o Hemoce, unidade da Secretaria da Saúde do Estado, receberá gestantes para orientar a informar sobre a doação de sangue do cordão umbilical e placentário. O Banco de Sangue Umbilical e Placentário do Ceará, o único em toda a região Nordeste, já está em operacionalização, com 18 amostras preservadas, segundo informa Fernando Barroso, coordenador do Banco de Sangue Umbilical e Placentário. Das 18 amostras, 16 estão disponíveis.

 

A ideia do serviço de orientação, deixando as gestantes mais informadas, é ampliar as doações e consequentemente as possibilidades de cura para pacientes que sofrem com doenças graves, como a leucemia e o linfoma. Antes de ir ao Hemoce, a gestante deve entrar em contato com os profissionais do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário pelo (85) 3223.4868 e agendar o atendimento, que acontecerá sempre as segundas-feiras, das 14 horas às 17 horas. O atendimento, portanto, é após agendamento.

 

A coleta das células tronco do cordão umbilical e placentário é um procedimento simples e que não traz riscos para mãe nem para o bebê. É realizada logo após o parto quando o obstetra “corta” o cordão umbilical separando a mãe do bebê. Neste momento o enfermeiro faz a coleta do sangue presente no cordão umbilical com uma agulha conectada a uma bolsa estéril. As células tronco surgem no ser humano ainda na fase embrionária, previamente ao nascimento. Após o nascimento, alguns órgãos ainda mantêm dentro de si uma pequena porção de células tronco, que são responsáveis pela renovação constante do órgão específico. Essas células têm duas características distintas: elas conseguem se reproduzir, duplicando-se, gerando duas células com iguais características; conseguem diferenciar-se, ou seja, transformar-se em diversas outras células de seus respectivos tecidos e órgãos. Essa é a célula que efetivamente é substituída quando é realizada um transplante de medula óssea.

 

Para doar as células tronco dos cordões umbilicais de seus filhos ao Banco de Cordão, as mães devem apresentar apenas o registro de duas consultas pré-natais. Elas precisam ter mais de 18 anos de idade, a gravidez não pode ser de risco, não ter doenças genéticas ou transmissíveis. As bolsas de células tronco armazenadas podem salvar a vida de milhares de pacientes no Brasil e no mundo, já que a Rede BrasilCord faz parte da NetCord, a rede mundial de doadores de medula óssea e de células do cordão umbilical. Cerca de 6 mil pessoas entram por ano na fila de espera por transplante de medula óssea no Brasil. Desse total, 1.200 passam pelo procedimento.

 

08.10.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220/ 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara

 

Assessoria de Comunicação do Hemoce

Suzana de Araújo Mont’Alverne (85 3101.2308 / 9663.2344 / 8897.2204)

Twitter: @Hemoce