Doação de leite materno pode ser feita por telefone

10 de outubro de 2012

“Doar leite materno é multiplicar vida com esperança. É somar saúde com solidariedade. É dividir o alimento mais complexo que existe. É diminuir a mortalidade infantil. É igual ao amor: quanto mais a gente doa, mais a gente tem”. Essa é a mais nova campanha pela doação de leite materno do Ministério da Saúde, que chega no momento em que o Ceará está com uma nova estrutura de bancos de leite na rede pública estadual. Dos três bancos da rede de hospitais da Secretaria da Saúde do Estado, dois foram ampliados e reformados recentemente. Primeiro foi o do Hospital Geral de Fortaleza, inaugurado no dia 20 de agosto. No último dia 28 de setembro foi a vez da inauguração da ampliação e reforma do Banco de Leite Humano do Hospital Geral César Cals, que aumentou a capacidade de pasteurização do leite de 5 para 15 litros por dia.

 

Ligação gratuita

 

Mesmo nos finais de semana as doações voluntárias de leite podem ser feitas. Basta fazer uma ligação gratuita. Se for para o Hospital Geral César Cals, que tem um veículo exclusivo para captação de leite, o telefone é o 0800286.5678. Caso a doação seja para  bebês do Hospital Infantil Albert Sabin, que em 2011 recebeu 714 litros de leite humano, disque 0800.2804169. Enquanto o novo banco do HGF se prepara para a instalação do serviço telefônico gratuito, informações e doações são pelo telefone 3101.3298. Recebem orientações sobre a retirada do leite e os cuidados com o acondicionamento. Para estocar, podem ser utilizados vidros de maionese ou café solúvel esterilizados. O leite deve ser conservado no congelador.      

 

Banco de Leite do Hospital Geral César Cals  

 

Dados da Secretaria da Saúde do Estado confirmam que o leite materno traz saúde e vida para as crianças. Na medida em que o índice de aleitamento aumenta, a mortalidade infantil cai. No Estado, chega a 71,14% o percentual de bebês acompanhados pelas equipes do Programa Saúde da Família (PSF) que são alimentados até quatro meses de vida somente com o leite materno. A Taxa de Mortalidade Infantil, que era de 32 por mil nascidos vivos no ano de 1997, ano em que o índice de aleitamento era menor, de 47%, foi reduzida para 13,1 em 2011. Segundo estudos do IBGE, o Ceará foi o Estado que mais reduziu a mortalidade infantil no país. 

 

Dez passos definidos pela Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano para o sucesso da amamentação:

 

– Ter uma política de aleitamento materno escrita, que seja rotineiramente transmitida a toda equipe de cuidados de saúde;

 

– Capacitar toda a equipe de cuidados da saúde nas práticas necessárias para implementar essa política;

 

– Informar todas as gestantes sobre os benefícios e o manejo do leite materno;

 

– Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira meia hora após o nascimento do bebê;

 

– Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas dos filhos;

 

– Não oferecer a recém-nascidos bebida ou alimento que não seja o leite materno, a não ser que haja indicação médica;

 

– Praticar o alojamento conjunto, permitindo que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas;

 

– Incentivar o aleitamento materno sob livre demanda;

 

– Não oferecer bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas;

 

– Promover grupos de apoio à amamentação e encaminhar as mães a esses grupos na alta da maternidade.

 

10.10.2012

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá (selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220/ 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara