Unidade de AVC do HGF: primeira do país com nível 3

10 de outubro de 2012

A Unidade de AVC do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) passa a ser a primeira do país habilitada pelo Ministério da Saúde com nível 3 por garantir assistência integral aos pacientes, desde a emergência aos serviços de retaguarda. A portaria de habilitação será assinada na noite desta quarta-feira (10), pelo ministro Alexandre Padilha durante a abertura do VIII Congresso Internacional de AVC (Word Stroke Organization), que ocorrerá até o próximo dia 13 no Centro de Convenções Wilisses Guimarães, em Brasília, realização da Academia Brasileira de Neurologia e a Sociedade Íbero-Americana de Doenças Cerebrovasculares. Participam do evento, que pela primeira vez acontece em um país da América Latina, mais de três mil médicos, dentre eles o diretor da Unidade de AVC do HGF, o neurologista João José de Carvalho.

 

Com a habilitação, o Ceará receberá do Ministério da Saúde R$2.171.750,00 por ano para a Unidade de AVC, mantida nesses três anos de funcionamento exclusivamente com recursos do governo do Estado. “Com esses recursos novos, a Unidade AVC, que já é uma referência pela complexidade e qualidade no atendimento às vítimas da doença que mais mata no Estado, conquistando a habilitação nível 3, será ainda mais completa, agregando novos procedimentos adotados nos maiores centros de saúde do Brasil e do mundo”, afirma João José de Carvalho. Ele lembra das inovações tecnológicas e de acesso a serviços modernos feitas pelo governo do Estado na Unidade do ano de 2009 para cá, destacando os trombolíticos para todos os pacientes e a aquisição do tomógrafo multi-slice. O moderno equipamento realiza o exame em apenas 5 segundos enquanto o antigo fazia a tomografia em 20 minutos.

 

A Unidade de AVC do HGF faz parte do Programa de Atendimento Integral e Integrado às Vítimas de AVC da Secretaria da Saúde do Estado, que, além da área assistencial, se sustenta nas vertentes epidemiológica e educativa. O secretário da saúde do Estado, Arruda Bastos, destaca que “a conquista da habilitação não é resultado de uma única ação. É consequência de uma política de saúde de assistência às vítimas para prevenir a doença e reduzir as incapacitações e os óbitos. O AVC causa 4.200 óbitos por ano, em média, no Ceará”, afirma o secretário. Ele observa que a assistência será em rede, vai se expandir aos novos hospitais regionais construídos pelo Estado no interior. O primeiro será no Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, que ainda este ano terá a Unidade de AVC funcionando para atender a população dos 44 municípios da macrorregião do Cariri. Em seguida, será o Hospital Regional Norte, em Sobral. No próximo ano, com previsão a partir de março, a população dos 55 municípios da macrorregião Norte também receberá assistência especializada no tratamento ao AVC na própria região, sem necessidade de deslocamento para a Unidade de AVC HGF, na capital.

 

Com 20 leitos e equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, a Unidade de AVC do Hospital Geral de Fortaleza é a maior do país. Por ano, segundo João José de Carvalho, reduz em 30% a mortalidade causada pela doença em 50% a incapacitações das vítimas. Em números absolutos, evita cerca de 150 mortes e 400 pacientes ficam livres de sequelas graves.

 

10.10.2012

 

Assessoria de Comunicação da Sesa

Selma Oliveira/ Marcus Sá ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / 85 3101.5220 / 3101.5221 / 8733.8213)

Twitter: @SaudeCeara