Mercado de trabalho aquecido na RMF

31 de outubro de 2012

Em setembro de 2012, a ocupação mantém o ritmo de crescimento, iniciado em junho, e a taxa de desemprego registra redução, passando de 9,4%, em agosto, para 8,7% da População Economicamente Ativa (PEA). Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego, na região metropolitana de Fortaleza (PED/RMF), divulgados nesta quarta-feira (31), no Sindicato dos Bancários.

 

A estimativa do número de desempregados foi de 160 mil pessoas, 12 mil a menos que no mês anterior, uma vez que a geração de 21 mil ocupações foi superior ao contingente de pessoas que ingressaram no mercado de trabalho da região (9 mil).

 

Além disso, diminuiu também o tempo médio de procura por trabalho de 31 semanas, em agosto, para 29 semanas, em setembro. “Nos últimos 12 meses, a redução em cinco semanas foi significativa. Em dezembro de 2008, quando apresentamos a primeira PED, a duração média de procura de trabalho pelos desempregados da RMF era de 46 semanas,” analisa o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Trabalho (IDT) De Assis Diniz.

 

O nível de ocupação cresceu 1,3% e o total de ocupados da RMF foi estimado em 1.683 mil pessoas. Por setor de atividade econômica, houve elevou-se o nível ocupacional nos Serviços (12 mil ou 1,5%), na Indústria de Transformação (7 mil ou 2,3%) e no Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (6 mil ou 1,5%), enquanto a Construção (-5 mil ou -3,8%) eliminou postos de trabalho.

 

Emprego cresce no setor privado

O emprego no setor privado ampliou-se (18 mil ou 2,0%), mantendo trajetória de crescimento pelo quarto mês consecutivo, resultado do aumento no emprego com carteira assinada (9 mil ou 1,3%) e no emprego sem carteira (9 mil ou 4,5%). Considerando os últimos doze meses, a geração foi de 26 mil vagas.

 

No setor público, houve redução (-4 mil ou -2,8%). O trabalho autônomo diminuiu (-6 mil ou -1,4%) e cresceram os contingentes de ocupados no emprego doméstico e no agregado demais posições.

 

Rendimento médio real registra crescimento

No mês de agosto de 2012, cresceu o rendimento médio real dos ocupados (1,4%) e houve pequena redução para os assalariados (-0,8%), passando a equivaler R$ 1.018 e R$ 1.101, respectivamente. Entre os assalariados do setor privado, o salário permaneceu praticamente estável (-0,2%), refletindo o mesmo comportamento observado entre aqueles com carteira (-0,1%), sem carteira de trabalho assinada (0,3%) e assalariados do setor público (0,1%). Aumentou a remuneração média real dos trabalhadores autônomos (4,3%).

 

Na análise dos rendimentos por setor de atividade do setor privado, em agosto de 2012, houve pequena elevação dos rendimentos médios reais na Indústria de transformação (0,8%), retração no Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (-1,2%) e pequena oscilação negativa no setor de Serviços (-0,7%).

 

Desempenho da RMF em relação às demais áreas pesquisadas

Dentre as regiões pesquisadas, a RMF foi a região onde o desemprego caiu com mais intensidade (-7,4%), na comparação entre agosto e setembro de 2012. Ela está entre as duas áreas metropolitanas onde a ocupação cresceu mais e foi a segunda região com a maior elevação do rendimento médio real dos ocupados (1,45), em agosto de 2012, aproximando seu rendimento médio do observado em Recife e Salvador.

 

Comércio deve ampliar número de contratações

Considerando os últimos doze meses, a PED/RMF registra ampliação no número de ocupados do Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (32 mil ou 8,8%) superior a de Serviços (28 mil ou 3,5%), enquanto a Construção (-10,1%) e a Indústria de Transformação (-2,8%)apresentam queda.

 

Diniz acredita que o setor deve apresentar resultados ainda maiores nos próximos meses, em virtude das contratações dos temporários para a alta estação do final de ano. “Na rede de Atendimento do SINE/IDT, trabalhamos com a expectativa de contratação de quatro mil temporários para os meses de setembro a dezembro, sendo boa parte para o comércio, em ocupações como vendedores e caixas”, acrescenta.

 

Sobre a PED/RMF

A apresentação da pesquisa foi realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE).

 

Atualmente, é executada, mensalmente, nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal, apresentando as características do mercado de trabalho local.

 

31.10.2012

 

Assessoria de Comunicação do IDT
Ana Clara Braga – 85 3101.5500 / anaclara@idt.org.br