Cid Gomes destaca legado da Copa para a economia e capacitação de mão-de-obra

28 de novembro de 2012

A realização da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 será a oportunidade para o Ceará se mostrar para o mundo. Foi com essas palavras que o governador Cid Gomes destacou o legado que o evento deixará o Estado. “A Copa do Mundo é um evento assistido por 4 bilhões de pessoas. A disputa para ser um país sede não acontece sem uma razão. Para além disso fica também um legado ao povo que transcende as obras de engenharia. A escolha do Brasil como país sede em 2014 coincide com um momento de retomada do crescimento econômico e o olhar mundial para as potencialidades do nosso país. Para o Ceará, é a oportunidade de nos apresentarmos para esses bilhões de pessoas. A Copa também será um marco importante para dar mais ênfase ao nosso potencial turístico ”, destacou Cid. A declaração do Governador foi feita nesta quarta-feira (28), durante a abertura da 6ª Reunião Ordinária do Colégio de Presidentes do Sistema Confea/Crea e Mútua, realizada em Fortaleza, no Ponta Mar Hotel.

 

No encontro, que reuniu os presidentes e representantes dos 27 Conselhos Estaduais de Engenharia e Agronomia (Creas), do Conselho Federal de Engenharia de Agronomia (Confea) e da Caixa de Assistência dos Profissionais do Sistema (Mútua), Cid Gomes também destacou o aumento na  capacitação e formação dos cearenses em diversos setores. “Só o Governo do Estado deve capacitar cerca de 12 mil pessoas para os jogos. Outros vários órgãos e entidades também deixarão um legado de capacitação e formação para muita gente”, ressaltou. Após as declarações, o chefe do executivo estadual ministrou palestra sobra a “As perspectivas no âmbito de obras de engenharia para o Estado do Ceará voltadas para a Copa 2014”.

 

Em sua fala, Cid Gomes apresentou os projetos estaduais contidos na Matriz de Responsabilidade da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014. O Governo é responsável as obras de modernização,  ampliação e adequação do Estádio Plácido Castelo (Castelão) e a implantação de uma linha ferroviária ligando dois bairros da Capital (Ramal Parangaba-Mucuripe) por meio de Veículo Leve sob Trilhos (VLT). “É claro que equipamentos esportivos modernos são também importantes para a realização de um evento como esse. E o Estado se preocupou em garantir que além da modernização, o projeto se voltasse para questões de acessibilidade e sustentabilidade, como é o caso do Castelão”, enfatizou Cid.     

 

Palestra_DentroAs obras no Castelão foram apresentadas em imagens, onde o Governador exemplificou as ações de acessibilidade – construção de rampas e implantação de elevadores -, e sustentabilidade – sistema de esgotamento a vácuo e sistema de abastecimento reutilizável. O modelo de licitação para obras no equipamento também é pioneira em relação as outras cidades-sedes. O Governo Estadual optou pelo modelo de Parceria-Público-Privado (PPP) como o objetivo de diluir ao máximo os recursos próprios e o custo financeiro da obra. Com isso foi possível uma economia de cerca de R$ 100 milhões no valor nominal da obra. “A fonte de investimento foi através de empréstimo com BNDES. Também conseguimos reduzir ao máximo do que permite a legislação o tempo de vigência da PPP e com a novidade de entregar a obra por etapas. Dividimos em quatro etapas funcionais, sempre no desejo de reduzir custos financeiros”, explicou.

 

A Arena Castelão será o primeiro Estádio entregue do Brasil, com data marcada de inauguração para o dia 16 de dezembro, com a presença da Presidente Dilma Rousseff. O Castelão, que também sediará os jogos da Copa das Confederações 2013, é também o equipamento com menor custo por assento. “Sai por menos de R$ 7 mil. A PPP também foi um modelo que contribuiu para reforçar a parceria público privada”, destacou Cid.

 

Assim como a Arena Castelão, a implantação do Ramal Parangaba-Mucuripe se dará através de empréstimo com a Caixa Econômica Federal e contrapartida do Governo do Estado. A obra já foi licitada e está em andamento em diversos pontos do percurso, composto por uma linha de cargas já existente e duas novas linhas que serão implantadas na faixa de domínio. “Estamos equacionando a questão das indenizações de moradias que ao longo dos anos foram se instalando nessa faixa de domínio. Já na próxima devemos assinar a ordem de serviço para a construção do maior conjunto habitacional do Nordeste, com 5.600 apartamentos, através do Minha Casa Minha Vida. “Serão cerca de 2.600 famílias indenizadas e realocadas nesse espaço”, explicou. Na ocasião, Cid Gomes apresentou os projetos de acessibilidade que inclui a implantação do Metrô de Fortaleza. A obra é composta pelas Linhas Oeste, já implantada com 24 quilômetros de percurso e que foi recentemente reformada pelo Estado; Linha Sul, que liga os municípios de Pacatuba e Maracanaú à Fortaleza e já funciona em operação assistida; e a Linha Leste, com percurso de 13 quilômetros, todo subterrâneo, ligando o Centro da Capital ao região Sul da cidade. “Queremos ser referência para o Brasil em mobilidade urbana tanto em volume como velocidade e é o que permite o Metrô de Fortaleza”, finalizou o Governador.

 

Cid Gomes foi homenageado com uma placa. A 6ª Reunião Ordinária contou com a presença do presidente do Crea-CE, engenheiro civil Victor Frota Pinto; dos presidentes do Confea, José Tadeu da Silva; do Crea-PA, Antonio Carlos Albério; do Crea-MS, Jary de Carvalho e Castro; e diretor da Mútua – Caixa de Assistência, Cláudio Calheiros. Prestigiaram o evento os gestores estaduais Otacílio Borges (secretário-adjunto da Seinfra) e o presidente da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos, Rômulo Fortes.

 

28.11.2012

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado

Casa Civil (casacivil.ce.gov.br / 85 3466.4898)