Desemprego na RMF registra menor taxa do ano

28 de novembro de 2012

Após uma acentuada redução de 8,7%, em setembro, para 7,9% da população economicamente ativa (PEA), em outubro, a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) alcançou a menor taxa de desemprego total do ano.  O contingente de desempregados diminuiu pelo terceiro mês consecutivo e passou a ser estimado em 146 mil pessoas, 14 mil a menos que no mês anterior (-8,8%). O resultado deveu-se à geração de 14 mil ocupações, dado que a PEA não variou.

 

O nível de ocupação na RMF, neste mês, cresceu 0,8%, em relação ao mês anterior, com 14 mil novas ocupações, e o total de ocupados estimado em 1.697 mil pessoas, o maior da série histórica – iniciada em dezembro de 2008. O crescimento é resultado da elevação do nível ocupacional no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (9 mil ou 2,3%), construção civil (6 mil ou 4,8%) e na indústria de transformação (3 mil ou 1,0%), enquanto o setor de serviços (-4 mil ou -0,5%) eliminou postos de trabalho.

 

O presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) De Assis Diniz destaca ainda o crescimento do emprego no setor privado (23 mil ou 2,5%), pelo quinto mês seguido, alcançando 935 mil empregados, o maior contingente da série histórica. “Principalmente porque neste segmento, observamos um crescimento mais intenso do emprego com carteira assinada (19 mil ou 2,7%). São empregos que possibilitam a obtenção das garantias trabalhistas, ou seja, mais segurança para o trabalhador,” acrescenta.

 

O contingente de empregados com registro em carteira (721 mil) foi o maior já registrado na RMF, nos últimos quatro anos. Aumentou também o número de ocupações entre os autônomos (3 mil ou 0,7%) e no agregado demais posições (2 mil ou 2,5%). Além disso, foram registradas quedas no setor público (-5 mil ou -3,5%) e no emprego doméstico (-9 mil ou -6,5%).

 

Em setembro de 2012, houve redução do rendimento médio real dos ocupados (-3,4%) e dos assalariados (-4,3%), na comparação com o mês imediatamente anterior. Os rendimentos médios dos ocupados e dos assalariados passaram a equivaler a R$ 991 e R$ 1.061, respectivamente.

 

Dentre os setores de atividade analisados na iniciativa privada, em setembro de 2012, na comparação com agosto do mesmo ano, o rendimento médio cresceu apenas no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (3,4%), sendo estimado em R$ 883. Em contraposição, o rendimento médio real na indústria de transformação apresentou queda (4,2%) e nos serviços houve pequena oscilação negativa (-1,0%), assumindo os valores de R$ 824 e R$ 924, respectivamente.

 

Sobre a PED
A Pesquisa de Emprego e Desemprego – PED, na Região Metropolitana de Fortaleza, é realizada por meio de uma amostra domiciliar na área urbana de treze municípios que compõem a região: Aquiraz, Caucaia, Chorozinho, Eusébio, Fortaleza, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajús, Pacatuba e São Gonçalo do Amarante. As informações são coletadas mensalmente através de entrevistas em, aproximadamente, 2.500 domicílios.

 

Os dados são divulgados mensalmente pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), o Sine/CE, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

 

Atualmente, a PED é realizada nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e no Distrito Federal.

 

28.11.2012

 

Assessoria de Comunicação do IDT
Ana Clara Braga – 85 3101.5500
anaclara@idt.org.br