Dragão do Mar seleciona quinze participantes para residência artística

29 de novembro de 2012

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, por meio do Museu de Arte Contemporânea, está com 15 vagas abertas para o Projeto Residência em 7, que será realizado entre os dias 8 e 15 de dezembro. A residência vai proporcionar trocas e embates frutíferos nas produções artísticas. Para participar os interessados devem enviar currículo e carta de intenção para o email educativomac@dragaodomar.org.br até sexta-feira (30). O resultado da seleção será divulgado no próximo dia 03 de dezembro, no site do www.dragaodomar.org.br.

 

No processo de residência os artistas-residentes, selecionados mediante análise de currículo e de carta de intenção, deverão relacionar suas pesquisas e produções a um dos artistas-proponentes convidados e cada um destes formará uma equipe de cinco residentes para acompanhar num processo de produção colaborativa.

 

No dia 08 de dezembro os artistas e residentes se encontrarão no Dragão do Mar de Arte e Cultura, no miniauditório do Memorial da Cultural Cearense, às 15 horas, para apresentação da proposta e mais informações. A residência acontece de 10 a 15 de dezembro, no espaço Dança do Andar de Cima, no Papicu, nos horários fixados entre grupo e artista-proponente.

 

O Projeto

 

O Residência em 7 trata-se de uma proposta de residência que visa trazer para debate e tornar visível questões pertinentes à recente produção artística contemporânea. Sob a orientação dos artistas Aspásia Mariana, Cesar Baio e Waléria Américo, e por meio de apresentações, falas, encontros, práticas e experimentações, os participantes-residentes são convidados a pensar e a produzir em resposta às inquietações, proposições e perguntas que serão lançadas e discutidas durante os sete dias de encontro.

 

Um grupo, formado por 15 artistas-residentes e 03 artistas-proponentes, encontra-se por uma semana a fim de trazer a tona discussões e experimentações que dar-se-ão através da produção de vídeos, performances, instalações, etc. Ao final da residência prevê-se uma apresentação que evidencie os processos e as poéticas trabalhadas durante a semana.

 

O esfumaçamento e o trânsito entre as linguagens artísticas, as construções coletivas, o desejo da interação e do envolvimento do outro (espectador /co-autor), as obras que se dão em processo (work -in- progress) e os sites-specifcs, são aspectos muito presentes nas poéticas artísticas contemporâneas. Tais aspectos emergem como eixos importantes na discussão e no embate que serão propostos durante a residência.

 

Os artistas

 

Como artista da dança e da performance, Aspásia Mariana propõe uma pesquisa por trabalhos que dialoguem a criação para o vídeo e a performance, para a criação de uma instalação interativa onde os participantes dancem e convidem o outro para dançar. Ela vem desenvolvendo projetos em colaboração com outros artistas e pesquisadores da dança, artes visuais e performance. Artista habitante e residente do Dança no Andar de Cima e Alpendre – Casa de Arte, pesquisa e produção. “Não dançaremos sozinhos, dançaremos juntos e somente juntos. Interagir, de forma divertida, e ao mesmo tempo questionar: quem dança? o que dança quando eu danço?  É um projeto que é proposta e a proposta é um convite: vamos dançar?”

 

Cesar Baio, mestre e doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com estágio no Vilém Flusser Archive, na Berlin University of the Arts (UDK), tem em suas pesquisas um atravessamento de diferentes maneiras o campo das imagens técnicas e das relações entre arte e tecnologia.  Entre seus projetos mais recentes estão Dance Everywhere (2012) e Horizontes Invisíveis(2010-2011). “De que maneira as imagens e seus aparatos conformam visualidades, corporeidades, imaginários?” Esta questão será tomada como potencializadora de procedimentos especulativos que buscam a invenção de dispositivos audiovisuais experimentais, criados a partir de técnicas obsoletas e avançadas de produção de imagens.

 

Já Waléria Américo, artista visual, graduada em Artes Plásticas pela Faculdade da Grande Fortaleza, com Especialização em Audiovisual e Meios Eletrônicos pela Universidade Federal do Ceará e Arte Multimédia – Performance/Instalação pela Universidade de Lisboa, trafega entre o vídeo, a fotografia e a performance, num empenho em investigar as relações entre o corpo e o entorno, a habitação e a trajetividade. Propõe pensar o corpo performativo na arte contemporânea, e suas construções para situações audiovisuais, a proposta para Residência em Sete será a troca de experiência em atêlie temporário. “Investigaremos como permanecer e escapar das imagens produzidas, usando os conceitos de Delay e No Sinc. Durante o processo perceberemos no pensar/fazer as possibilidades de apropiação do espaço e tempo, e quais os limites ou riscos de produzir em colaboração”.

 

Serviço: Residência em 7
Local: Dança do Andar de Cima – Rua Desembargador Leite Albuquerque, 1523 –  entrada pela Rua Marechal Rondon, Papicu – Fortaleza.
Datas: 08 a 15 de Dezembro.
Mais informações: (85) 3488.8622

 

28.11.2012

Assessoria de Imprensa do Dragão do Mar

Luciana Vasconcelos (imprensa@dragao.org.br / 85 3488.8625)