Clássico das Américas será o primeiro jogo no Castelão na Copa das Confederações

1 de dezembro de 2012

A Arena Castelão vai receber a partida entre Brasil e México no dia 19 de junho do ano que vem, no segundo jogo da fase de grupos pela Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013. Já em 23 de junho, é a vez da atual campeã mundial Espanha enfrentar a seleção que vai representar o continente africano e que ainda será definido. Todos os  confrontos da competição foram marcados hoje durante o Sorteio dos Jogos da Copa das Confederações que aconteceu no Parque Anhembi, em São Paulo.

 

Para o secretário especial da Copa 2014 no Ceará, Ferruccio Feitosa, as arquibancadas da Arena Castelão vão se encher com a alegria dos torcedores de todo o mundo nos grandes jogos que a capital cearense vai receber. “Temos motivos de sobra para comemorar. A Espanha jogando no Castelão em 2013 é um ótima oportunidade para apresentarmos as potencialidades de Fortaleza e assim nos tornarmos uma opção para a aclimatação da campeã do mundo em 2014 na nossa capital. Já o povo mexicano é alegre, divertido e se parece muito com o cearense. Eles costumam comparecer em massa aos jogos de sua seleção e isso é uma oportunidade para aquecer a nossa economia e fortalecer ainda mais o turismo”, afirma Ferruccio Feitosa.

 

Além dos dois jogos da primeira fase, Fortaleza ainda vai receber uma semi-final da Copa das Confederações. No Grupo A, onde o Brasil é cabeça de chave, ainda estão as seleção do Japão e a campeã mundial Itália. Já no Grupo B, além de Espanha e a representante africana, também jogam Tahiti e Uruguai.
 
 
Arena Castelão
As obras de reforma, ampliação e modernização da Arena Castelão seguem em ritmo avançado. A entrega da obra está para o dia 16 de dezembro e contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff. Ao todo, o projeto envolve recursos da ordem de R$ 518,6 milhões que incluem todas as transformações do estádio e entorno com a construção da praça de acesso de 55 mil metros quadrados; estacionamento coberto para 1.900 veículos; edifício Fares Cândido Lopes, sede de dois órgãos estaduais; e a operação do estádio por oito anos, que irá cobrir todas as despesas com energia, água, telefonia, esgoto e pessoal de manutenção e conservação.